Postado às 14h26 política Nenhum comentário Enviar por e-mail

Os quatro deputados que disputam neste domingo (1) a presidência da Câmara dos Deputados iniciaram o dia tentando convencer os colegas em favor de suas candidaturas. No plenário Nereu Ramos, os deputados novatos, que tomam posse também neste domingo, participaram de um evento promovido pela Casa, que contou com a presença dos candidatos Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Arlindo Chinaglia (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG) e Chico Alencar (PSol-RJ).

O líder e candidato do PMDB, Eduardo Cunha, se reuniu com deputados da Frente Parlamentar da Agricultura. Após passar pelo encontro de ambientação dos parlamentares, onde opinou sobre reforma política, ao lado dos adversários, Cunha era aguardado em dois almoços e um chá com bancadas como a feminina e esposas de deputados. No fim do dia, oferece um jantar para todos os deputados.

Após se reunir com a bancada do PSB, Júlio Delgado participou de uma reunião que formalizou o apoio do PSDB, PPS e PV à sua candidatura. “Nós não temos aqui a posição partidária, é a posição de atuação. O que esse bloco consolida é que nós temos duas candidaturas que não têm vínculo com o governo, ou com cargos do governo, e por isso dará a elevação da estatura que precisamos para o Poder Legislativo”, disse Delgado, adiantando que os parlamentares dos outros partidos pretendem manter o bloco de forma permanente.

Correndo individualmente no corpo a corpo para convencer os colegas, Chico Alencar disse que não conta com o apoio formal de outros partidos, mas tem conversado com todos os parlamentares e apresentado a sua plataforma. O seu projeto, disse, não visa atender a “pauta corporativista interna” da Câmara. “O importante é o convencimento, você trazer propostas relevantes que deem conta do resgate do Parlamento como casa de fato do povo, e não casa de poucos”, afirmou.

Já Arlindo Chinaglia, que também esteve presente no evento que detalhou o funcionamento da Casa aos novatos, participa de reuniões ao longo do dia com colegas deputados. No fim da tarde, ele comparece a um coquetel com parlamentares mulheres no centro de Brasília e, depois, janta com parlamentares e familiares em um clube, também na capital federal. Às 16h, seus apoiadores fazem uma reunião da bancada na Câmara dos Deputados.

* Agência Brasil


Postado às 05h05 Coluna [ 2 ] Comentários Enviar por e-mail

Território sem lei – II

O Jornal Oficial do Município (JOM) publica na edição deste final de semana um edital de chamamento público para locação de imóvel com capacidade de abrigar pequenos comerciantes.

A iniciativa da gestão municipal é para remover os camelôs do centro da cidade para um ambiente comercial adequado.

O edital sugere, embora não haja confirmação oficial, que a Prefeitura vai firmar contrato com o grupo empresarial Porcino Costa para utilizar o shopping popular, construído entre as avenidas Rio Branco e Alberto Maranhão, Centro, e pronto para ser ocupado.

Não há outro imóvel na cidade com capacidade de instalar os pequenos comerciantes, logo, o chamamento público beneficiará o empreendimento dos Porcinos, mas, acima de tudo, o processo culminará com a solução do velho problema no centro comercial. O assunto foi comentado aqui na edição de ontem, sob o título “Território sem lei”.

A opção por contratar um imóvel já pronto se justifica na falta de projeto e de recursos para a construção e instalação de um shopping popular. Isso exigiria tempo e dinheiro.

No primeiro caso, a retirada dos camelôs não pode mais esperar.

No segundo, o Município não dispõe de recursos próprios para o investimento, tanto que não incluiu essa obra no Orçamento Geral do Município 2015.

Logo, a solução encontrada é apenas paliativa, para ganhar tempo e as condições de promover a solução definitiva.

Não é possível, aqui, garantir que o chamamento público terá desfecho positivo, até porque trata-se de um negócio com perfil de parceria público-privada, que exige muito das partes envolvidos. No entanto, é provável que o Executivo já tenha um entendimento encaminhado com o grupo empresarial favorito a ganhar a concorrência, que na verdade não é concorrência, uma vez que não existe na cidade outro imóvel com as condições técnicas iguais ao shopping popular que os Porcinos acabam de construir.

O importante, no momento, é que as coisas sejam feitas de forma transparente e amparadas pela lei e que o processo tenha sucesso, já que o problema não pode mais se estender.

Aliás, desde o segundo semestre de 2014 que a Prefeitura deveria ter removido os camelôs das calçadas e ruas do centro comercial, conforme o termo de ajustamento de conduta (TAC) firmado com o Ministério Público. Não o fez. Nem o Ministério Público cobrou essa responsabilidade. A bem verdade, o problema se arrasta há anos, foi crescendo e hoje se transformou em questão social.

Portanto, é dever do Município promover a solução. Paliativa agora; definitiva no futuro.

 

A barca do DEM está sem futuro

O prefeito de Salvador (BA), ACM Neto, acelera o passo para trocar o DEM pelo PDT. A travessia é irreversível, já que é meta dele viabilizar o projeto de reeleição. Ficando no DEM, as suas chances são remotas nas eleições do próximo ano. O prefeito consultou a base e recebe aval de todos, inclusive de vereadores e deputados estaduais, que disseram que o acompanharão. Se isso ocorrer, e muito provavelmente ocorrerá, o que fará o presidente nacional da sigla, senador José Agripino Maia? Pedirá a cassação por infidelidade partidária, como fez com o deputado conterrâneo Betinho Rosado?

 

Partido menor na terra de JA

Além da anemia em seus quadros em nível nacional, o DEM também sofre o processo de emagrecimento no Rio Grande do Norte. Em Mossoró, segundo maior colégio eleitoral do Estado, o partido está sem diretório desde a saída do ex-deputado Carlos Augusto e da ex-governadora Rosalba Ciarlini. Os dois vereadores da legenda, Flavinho Tácito e Manoel Bezerra, já anunciaram que vão sair, para salvar a própria pele.

 

Em baixa

Os mais de 22 milhões de votos nas eleições de 2014 não foram suficientes para proporcionar visibilidade a Marina Silva pós-eleição. A ex-seringueira está isolada na luta pela sobrevivência política, porém sem desistir do sonho, a partir da criação do seu partido – Rede.

 

Nanico

Marina quer registrar a Rede em março. O partido nascerá nanico, devendo atrair, no máximo, cinco deputados federais, menos de 1% dos 513. Ou seja, sem influência na Câmara. Mas, a voz de Marina estará viva.

 

Carro-pipa

Menos de 24 horas de o Exército anunciar a suspensão da “Operação Carro-pipa”, por falta de recursos, a senadora Fátima Bezerra (PT) conseguiu reverter o quadro. Segundo ela, o governo Dilma atendeu o seu apelo.

 

Dever cumprido

Betinho Rosado (PP) encerra hoje o seu quinto mandato de deputado federal, com a marca de R$ 285 milhões em emendas para o RN, sendo R$ 173 milhões para Mossoró, e a sensação do dever cumprido.

 

Governo diz não ao carnaval

O governador Robinson Faria (PSD) decidiu, acertadamente, que o Estado não vai patrocinar festas carnavalescas neste ano. A prioridade é aplicar recursos públicos em obras e ações, para amenizar os efeitos da seca. Uma das ações será colocar em funcionamento os 1.700 poços que foram perfurados na gestão passada, mas que precisam ser instalados para funcionar.

 

Enem

O MEC fará consulta pública para um novo modelo de realização do Enem. O novo modelo criaria um banco digital de questões, que permitiria o agendamento on-line da prova. A consulta será feita nas próximas semanas.

 

Energia ainda mais cara

O governo Dilma já estuda aumentar o valor das bandeiras tarifárias de energia elétrica, que entraram em vigor há um mês. O aumento deve ficar entre 30% e 40%. É mais uma pancada no bolso dos brasileiros.

É NOTÍCIA

1 -  O JORNAL DE FATO circula neste domingo, 1.º, com caderno especial sobre o Campeonato Estadual de Futebol 2015. O editor Marcos Santos caprichou em todos os detalhes.

2 – Há 14 anos, a favela do Fio ganhava energia elétrica, com a implantação de 200 postes da Cosern. Atualmente, a comunidade está ganhando investimento para se livrar do perfil de favela.

3 – Decreto do Governo do Estado prorrogou para o dia 6 de março o prazo para remessa à Controladoria Geral da relação dos restos a pagar de 2014. Péssima notícia para os credores.

4 – De janeiro de 2014 a 2015, o Rio Grande do Norte apresentou 13.369 casos notificados como suspeitos de dengue, com 25 óbitos. Queda de 46,45% em relação ao mesmo período de 2013.

5 – O prefeito de Macau, Kerginaldo Pinto (PMDB), disse que a Prefeitura vai poupar R$ 1 milhão no carnaval de 2015. Mesmo assim, o cofre público bancaria algo superior a R$ 3 milhões. Só isso.

 

FRASE

Daremos prioridade ao enfrentamento da seca nos municípios.”

ROBINSON FARIA – Governador, descartando apoio financeira a festas carnavalescas


Postado às 05h00 Túnel do Tempo Nenhum comentário Enviar por e-mail

* De 1946 – Dutra é o primeiro presidente ao tomar posse fardado.

* De 1951 – Getúlio Dorneles Vargas toma posse e anuncia Ministério.

* De 1955 – Jânio Quadro é eleito governador de São Paulo, com 660 mil votos, contra 642 mil para Adhemar de Barros.

* De 1956 – JK toma posse. Fim do Estado de Sítio, que visava impedir um golpe.

* De 1961 – Jânio Quadro toma posse na Presidência.


Postado às 02h48 política Nenhum comentário Enviar por e-mail

 

Presidente do Senado, Renan Calheiros, durante cerimônia de posse do ministro Aroldo Cedraz no cargo de presidente do TCU (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Atual presidente do Senado, Renan é o candidato oficial do PMDB à reeleição     Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

O PMDB oficializou hoje (30) o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) como candidato do partido à presidência do Senado. A reunião da bancada do partido terminou com 15 dos 19 senadores pemedebistas se manifestando a favor da reeleição de Renan, que é o atual presidente da Casa.

Desde terça-feira (27), o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) anunciou que irá disputar a presidência, independentemente da indicação oficial do partido. Luiz Henrique já recebeu o apoio de representantes de seis partidos – PDT, PSDB, DEM, PSB, PP e PSOL – além de alguns colegas do próprio PMDB.

Como já tinha tomado a decisão “irrevogável” de entrar na disputa, Luiz Henrique optou por não participar da reunião do PMDB, e encaminhou uma carta aos colegas na qual comunicou a candidatura avulsa. Como, historicamente, a indicação do presidente é feita pelo partido com maior bancada, o senador Renan Calheiros criticou a decisão de Luiz Henrique de concorrer, mesmo não tendo o aval do PMDB.

“É preciso respeitar a proporcionalidade, respeitar as indicações dos partidos. O Congresso não caminha por projetos pessoais, candidaturas avulsas. É fundamental não revogar as normas que fazem com que o Parlamento caminhe”, disse Renan depois de ter o nome oficializado.

Criticado por ter demorado a assumir a candidatura à reeleição, Renan justificou que não poderia fazer o anúncio antes que seu partido tomasse a decisão, oficialmente. “O papel do presidente do Senado é complexo. Você não pode se colocar como candidato à reeleição, atropelando eventual legítimo interesse que porventura exista na própria bancada, como é o caso. Você primeiro precisa da indicação da bancada, do respeito à proporcionalidade para procurar os outros partidos, porque, quando antecipa essa decisão, as pessoas perguntam: ‘e a manifestação do seu partido? Será que seu partido vai indicar você?’. Isso é fundamental, é o respeito ao estatuto, à regra e ao regimento do Senado Federal”, afirmou.

Apesar de faltarem cerca de 48 horas para a eleição para a Mesa Diretora do Senado, Renan se disse “confiante”, e deve começar a ligar para os colegas em busca de apoio. Luiz Henrique, por sua vez, anunciou mais cedo que espera contar com 45 votos no próximo domingo (1º).

* Agência Brasil


Postado às 02h45 política Nenhum comentário Enviar por e-mail

O PSDB reuniu sua nova bancada na Câmara dos Deputados. Em reunião realizada em Brasília, que contou com a presença do presidente nacional da legenda, senador Aécio Neves, o deputado federal diplomado, Rogério Marinho, presidente de honra do partido no Rio Grande do Norte, disse que não havia possibilidade do Petrolão ter acontecido sem o conhecimento do ex-presidente Lula da Silva e da atual, Dilma Rousseff, ambos do PT.

“O Petrolão, por sua magnitude e extensão, não pode ter acontecido sem o conhecimento e o aval de Lula e Dilma. O contrário disso seria uma enorme e absurda incompetência”, disse o parlamentar, que assume o novo mandato em solenidade realizada neste domingo (1º) na capital federal.

Ainda de acordo com o tucano potiguar, o governo o PT demonstrou uma “eficiência extraordinária: em 12 anos desmantelou o setor de energia de tal forma que a Petrobras e a Eletrobrás estão quebradas”. Para Rogério, “a crise no setor energético brasileiro desmontou dois mitos da história recente do país, o primeiro é o que Dilma entente algo de energia, e o segundo que a presidente era uma verdadeira gerente. Incompetência é típico do PT”.

Durante a reunião da bancada do PSDB, o economista Adriano Pires ministrou palestra sobre energia, crise do setor elétrico brasileiro e situação da Petrobras. Mestre em Planejamento Energético, Pires afirmou que o governo Dilma “derrubou” o setor energético brasileiro e fez o alerta: “a sociedade pagará pelas barbeiragens feitas na área de energia e de petróleo e o mais penalizado será o cidadão comum.”

Pires expôs aos tucanos os motivos do caos que tomou conta do setor energético nacional. A edição da Medida Provisória 579, anunciada em 11 de setembro de 2012, teria sido, segundo ele, o pontapé inicial para os problemas. A falta de planejamento e a incapacidade em aproveitar a diversidade da matriz energética nacional completam a lista de lambanças da gestão petista.

“O governo está levando o problema ao consumidor, que irá pagar por tudo. Zombam da sociedade e mentem descaradamente ao não falar a gravidade dos problemas. O correto agora seria a presidente voltar à TV e pedir à sociedade para economizar energia. Isso seria o honesto.”

O economista fez ainda um alerta aos deputados tucanos, que formam a maior bancada de oposição na Câmara. “Esse vai ser o ano do apagão e do petrolão. O partido precisa estar atento e ter posições muito firmes. A população vai sofrer muito e  mais penalizado é o cidadão comum. Além de penalizá-lo, esse governo quebrou duas de nossas maiores empresas”, disse Pires.

 

Líder

Rogério Marinho também participou da escolha do novo líder da bancada do PSDB na Câmara, realizada já na tarde desta sexta. Para a função foi aclamando o nome do deputado Carlos Sampaio (SP). O tucano paulista tratou de apresentar as prioridades da legenda para 2015 no Legislativo, como a retomada das investigações do Congresso sobre os escândalos de corrupção na Petrobras.

“O momento é de parabenizarmos nosso amigo deputado Carlos Sampaio, que terá uma enorme responsabilidade pela frente, inclusive de comandar de forma coletiva o nosso partido. Da nossa parte, terá sempre total apoio. Vamos à luta”, disse Rogério.


Postado às 02h40 política Nenhum comentário Enviar por e-mail

O deputado federal diplomado Beto Rosado (PP) já está em Brasília, onde será empossado neste domingo (1º), para o seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados.

A sessão está marcada para as 10h da manhã, horário de Brasília, e será realizada no plenário da Casa, com transmissão ao vivo para todo o Brasil pela TV Câmara.

Acompanhando o novo deputado, estão a esposa Katherine, a mãe Mary Barrocas e o pai Betinho Rosado.


Postado às 05h03 Coluna [ 5 ] Comentários Enviar por e-mail

Território sem lei

Na primeira gestão de Rosalba Ciarlini na Prefeitura de Mossoró, entre os anos 1989/1992, uma varredura foi realizada no centro da cidade para retirar as barracas que obstruíam a passagem de pedestres.

A área do Mercado Público Central, a mais crítica, abrigava uma feira livre onde pequenos comerciantes, camelôs e barracos ocupavam calçadas e pista de rolamento, sem qualquer critério ou respeitado a lei de ir e vir.

Medida amarga, que valeu alguns pontos de rejeição à gestão pública, mas que a então prefeita teve a coragem de adotar. O centro comercial ficou limpo.

Quatro anos depois, já na terceira gestão de Dix-huit Rosado, os feirantes e comelôs voltaram a ocupar as ruas e avenidas do centro comercial, principalmente os arredores do Mercado Público Central. O prefeito não reagiu.

Foi preciso o retorno de Rosalba à Prefeitura, em 1997, no segundo mandato, para proceder uma nova limpeza. Desta feita, instalou os pequenos comerciantes na antiga Cobal, reformada e ampliada, e no Mercado do Carne, do Peixe e da Ave, além de transferir uma parte para o “Vuco-Vuco”, que recebeu obra de ampliação.

Pois bem.

Os anos se passaram, outras gestões aconteceram e o problema voltou com força. Hoje, é quase impossível transitar pelas calçadas e praças do centro comercial de Mossoró sem bater em produtos e barracos instalados. Os camelôs tomaram conta.

O problema cresceu, pois, além da questão de acessibilidade, agora tem o viés social.

O poder público não pode proceder apenas com a retirada desses comerciantes, mas, sim, saber onde colocá-los, pois se tratam de pais de família que tiram o sustento do comércio ambulante. Agora, é preciso que a gestão municipal elabore um projeto com a máxima urgência, já que a situação vem se arrastando há tempo.

No ano passado, inclusive, o Ministério Público e a Prefeitura firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para o município remover os barracos do centro da cidade, sem que, até aqui, tenha sido adotada qualquer medida prática.

A solução, inclusive defendida aqui, é a transformação do Mercado Público Central em um shopping popular. A área construída ganharia ampliação, com um ou  mais pisos, para receber todos os camelôs instalados no centro da cidade. Paralelamente, a Prefeitura ampliaria o Mercado do Vuco-Vuco, que ganharia novos boxes para ampliar o número de vagas.

Sem dúvida, essa é a melhor alternativa.

Agora, não há qualquer projeto elaborado nesse sentido, ou, se existe, a Prefeitura guarda a sete chaves.

 

Motta vê Ezequiel pelo retrovisor

No balanço do finalzinho da tarde de ontem, feito nos corredores da Assembleia Legislativa, o presidente da Casa, Ricardo Motta (Pros), havia perdido forças, mas continuava favorito a renovar o mandato por mais dois anos. No retrovisor já aparecia o deputado Ezequiel Ferreira, que apesar de não contar com o apoio dos manda-chuvas do PMDB, leia-se Alves, avançou o seu nome com apoio silencioso do governador Robinson Faria (PSD), que indicou o novato Galeno Torquato (PSD) para o cargo de 1º secretário. Ezequiel, ao final do dia, mostrava-se otimista para vencer a disputa.

 

No papel fica mais fácil

A OAB-Mossoró convenceu a classe empresarial a investir em segurança para ajudar o governo a enfrentar o clima de violência que reina na cidade. Os empresários aceitaram colocar a mão no bolso para adquirir equipamentos como câmeras e outros. Certo. O problema é a parte do governo que, pela sugestão da OAB, terá que nomear concursados para reforçar o contingente policial. Pouco provável. O cofre não suporta.

 

Crise?

O prefeito de Macau, Kerginaldo Pinto (PMDB), toma café da manhã com convidados, hoje no Garbos, para lançar em Mossoró o carnaval 2015. Já patrocinou o mesmo evento com a turma de Natal. No “corredor do petróleo”, a Prefeitura de Macau não sabe o que é crise financeira.

 

Enquanto isso

Os moradores de São Fancisco do Oeste, na região do Alto Oeste, interditaram a BR-405 e romperam o sistema adutor em protesto à falta de água. No município, a sede castiga e a falta de recursos também.

 

Carreira solo

A ida do ex-reitor Josivan Barbosa para o secretariado municipal não tem o DNA do PT, apesar de ele ser filiado ao partido. Inclusive, Barbosa se afastou dos medalhões petistas, não dividindo prestígio.

 

Municípios ficam sem carro-pipa

A partir deste sábado, 31, o Exército suspenderá a operação carro-pipa em todo o Rio Grande do Norte. Motivo: o governo Dilma (PT), via Ministério da Integração Nacional, não está repassando os recursos do programa emergencial. Com isso, 116 municípios potiguares ficarão desatistidos, principalmente na zona rural. A crise é grave e vai piorar com a falta de chuvas.

 

Lava Jato

O balanço é da própria Petrobras: a estatal teve um prejuízo de 88,6 bilhões de reais nos ativos, referentes às perdas com a corrupção (Lava Jato). É o maior escândalo da vida pública do Brasil e do mundo.

 

O consumidor paga a conta

As alíquotas de PIS e Cofins sobre combustíveis sobem no domingo, 1º de fevereiro. O aumento corresponderá a R$ 0,22 por litro da gasolina e R$ 0,15 por litro do diesel. Peso para o bolso do consumidor.

 

É NOTÍCIA

1 -  O governador Robinson Faria (PSD) agenda para a próxima terça-feira, 3 de fevereiro, a primeira visita oficial a Pau dos Ferros. Será recepcionado pelo prefeito aliado Fabrício Torquato.

2 – Nesta data, em 1979, as irmãs Ellen e Ermelinda Carmo fundavam o Lar da Criança Pobre de Mossoró. São 36 anos prestando assistência social às crianças carentes da cidade.

3 – Hoje completa 27 anos que saía o último trem de passageiros da estação ferroviária de Mossoró para a cidade de Souza, na Paraíba. Sem o trem a estação virou das Artes e de Elizeu Ventania.

4 – Marcada para o mês de março audiência na Justiça do Trabalho entre a LDM e o ex-funcionário  Borracha. Mais uma tentativa de acordo. Se não houver, o Estádio Nogueirão vai à hasta pública.

5 – Nesta data, em 1948, era assassinado o líder anticolonialista indiano Mahatma Gandhi. Foi o maior defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto).

 

FRASE

O domínio da organização criminosa estava nas mãos de agentes políticos.”

ADVOGADOS – Na defesa do doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato


Postado às 05h00 Túnel do Tempo Nenhum comentário Enviar por e-mail

* De 1859 – Surge a primeira linha de bondes puxados a burro, para o Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro.

* De 1933 – Alemanha: Hitler é nomeado chanceler de Reich.

* De 1948 – Assassinado o líder anticolonialista indiano Mahatma Gandhi. Foi o maior defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto).

* De 1950 – Publicação de “Canto Geral”, de Pablo Neruda.

* De 1979 – As irmãs Ellen e Ermelinda Carmo fundavam o Lar da Criança Pobre de Mossoró. São 36 anos prestando assistência social as crianças carentes da cidade.


Postado às 17h05 Corrupção [ 3 ] Comentários Enviar por e-mail

Do G1

O doleiro Alberto Youssef enviou nesta quarta-feira (28) à Justiça Federal a resposta formal às denúncias feitas pelo Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga esquema de lavagem de dinheiro e desvios dentro da Petrobras. No documento, a defesa do doleiro aponta que “agentes políticos e públicos” eram os maiores responsáveis pelo esquema

Na resposta à Justiça, Youssef negou ser chefe do esquema, que segundo o MPF, teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões.

De acordo com a defesa, o esquema visava a manuteção do poder de políticos “das mais variadas cataduras”. Os advogados afirmaram, ainda, que a única função do doleiro na organização criminosa era a “distribuição dos valores obtidos com a corrupção”.

“Não é preciso grandes malabarismos intelectuais para reconhecer que o domínio da organização criminosa estava nas mãos de agentes políticos que não se contentavam em obter riqueza material, ambicionavam poder ilimitado com total desprezo pela ordem legal e democrática, ao ponto do dinheiro subtraído dos cofres da Petrobras ter sido usado para financiar campanhas políticas no legislativo e executivo”, informaram os advogados.

Youssef também responsabilizou a gestão da Petrobras pelo “conluio” entre políticos e empreiteiras. De acordo com a defesa, a operação ocorria sem a interferência do doleiro, que, segundo os advogados, “não teria poder de interferir” dentro da estatal.

“Conforme dito por Paulo Roberto Costa [ex-diretor da Petrobras], réu colaborador, ele foi colocado na diretoria de Abastecimento com as funções de atender aos pleitos dos partidos da base aliada do governo, PT, PP e PMDB , sendo certo que esses partidos dividiam os valores arrecadados pelo esquema de corrupção na base de 1% a 3%”, afirmou a defesa.

Por fim, os advogados pedem a rejeição da denúncia de corrupção passiva feita pelo MPF contra Youssef. No total, o doleiro é réu em dez processos relacionados à Operação Lava Jato. No entanto, pelo acordo de delação premiada que fez com a Justiça, ele ficará no máximo cinco anos preso em regime fechado.

Em outubro do ano passado, Youssef foi absolvido pela Justiça da denúncia que respondia por lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

VALE ESTE - Arte Lava Jato 7ª fase (Foto: Infográfico elaborado em 15 de novembro de 2014)

Postado às 15h17 Seca [ 1 ] comentário Enviar por e-mail

A operação carro pipa, coordenada pelo Exército, com orçamento do Ministério da Integração Nacional e responsável pelo abastecimento de 116 municípios do Rio Grande do Norte, vai ser paralisada a partir do próximo dia 31 de janeiro.

A coordenação do programa está informando aos municípios que, por falta de recursos do Governo Federal, não mais abastecerá as comunidades que dependem desta água para sobrevivência.

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Rio Grande do Norte (FEMURN), prefeito de Mossoró Silveira Júnior (PSD) recebeu com muita preocupação a notícia e iniciou uma mobilização na manhã desta quinta-feira (29) junto aos órgãos responsáveis e a bancada federal do Estado, para reverter esse quadro e manter o programa funcionando, principalmente pelo período da seca extrema que se mantém no interior do Estado.

Ao todo, 525 carros pipa realizam o trabalho de abastecimento destas comunidades distribuídas nos 116 municípios mais sofridos com a seca. O presidente da FEMURN está pedindo apoio de toda a classe política. Na manhã de hoje, Francisco José Junior falou com a senadora eleita Fátima Bezerra, que já se prontificou a colaborar e irá hoje mesmo no Ministério da Integração Nacional tratar do assunto.

O dirigente municipalista também conversou com o comando do Exército responsável pelo programa no Estado. ‘Os municípios dependem desta operação. Se parar, o povo vai passar fome e sede. Não podemos esperar. Fátima Bezerra hoje mesmo vai ao Ministério. Precisamos somar o apoio de toda a bancada federal em torno deste assunto. A FEMURN irá se mobilizar e manter-se alerta para evitar o que pode ser mais uma tragédia para regiões já castigadas com a seca’, destacou o presidente.