Sábado, 18 de novembro de 2017

Postado às 10h30 | 09 Out 2017 | Redação Drama argentino não é inédito

Crédito da foto: Arquivo Situação de Messi e da Argentina está bem complicada

A Argentina precisa vencer o Equador, em Quito, e torcer por uma combinação de resultados para garantir a vaga na Copa da Rússia 2018. Do contrário, vai encarar a Nova Zelândia na repescagem, isso, claro, se vencer o jogo desta terça-feira (10).

A vida de Messi e cia. Não está fácil, no entanto, se a Argentina não conseguir o “milagre”, não será a primeira vez que ficará fora da copa. E também não será a única campeã mundial a experimentar tal decepção.

O jornalista Rafael Reis, em seu blog, fez o levantamento. Veja:

ALEMANHA

Títulos: 4 (1954, 1974, 1990 e 2014)

Participações: 18

Última ausência: 1950

Além do Brasil, a Alemanha é a única seleção do planeta que conquistou a classificação para a Copa do Mundo em todas as eliminatórias que participou. Suas duas únicas ausências na competição não foram em razão de fracassos dentro de campo. Em 1930, os germânicos simplesmente não quiseram cruzar o Oceano Atlântico para disputar a primeira edição do torneio, no Uruguai. Já em 1950, foram impedidos pela Fifa de se inscreverem nas eliminatórias devido à Segunda Guerra Mundial.

ITÁLIA

Títulos: 4 (1934, 1938, 1982 e 2006)

Participações: 18

Última ausência: 1958

Assim como a Alemanha, a Itália também só ficou fora de duas das 20 Copas do Mundo já disputadas. A Azzurra foi outra seleção que não quis ir à América do Sul para a edição inaugural do torneio. Já em 1958, a vaga foi perdida em campo. Os italianos, já bicampeões mundiais naquela época, foram superados pela Irlanda do Norte em um grupo de três times que classificava apenas um –Portugal foi o lanterna da chave.

ARGENTINA

Títulos: 2 (1978 e 1986)

Participações: 16

Última ausência: 1970

Dos quatro Mundiais que a Argentina não participou, apenas em um deles a vaga foi perdida nas eliminatórias. Em 1970, a futura seleção de Maradona e Messi fez uma campanha digna de pena. Os argentinos venceram apenas um dos quatro jogos que disputaram e terminaram na lanterna de um grupo que contava também com Peru (classificado para a Copa do México) e Bolívia.

URUGUAI

Títulos: 2 (1930 e 1950)

Participações: 12

Última ausência: 2006

Antes de chegar às semifinais da Copa-2010 e retomar pelo menos um pouco da sua tradição de sucesso no futebol internacional, o Uruguai vivia uma draga e ficou fora de três dos quatro Mundiais disputados entre 1994 e 2006. Nas eliminatórias para a Copa da Alemanha, seu último fracasso, a equipe dos Diegos Forlán e Lugano foi a quinta colocada da Conmebol e teve de disputar a repescagem. Mas, no confronto direto com a Austrália, campeã do qualificatório da Oceania, o Uruguai se deu mal e acabou derrotado nos pênaltis.

INGLATERRA

Títulos: 1 (1966)

Participações: 14

Última ausência: 1994

Semifinalista da Copa-1990, a Inglaterra conseguiu a proeza de não se classificar para o Mundial seguinte. O time, que contava com David Platt, Ian Wright, Paul Ince e Paul Gascoigne, ficou na terceira posição em uma chave que tinha Polônia, Turquia, Holanda, Noruega e San Marino. As duas vagas distribuídas pelo grupo foram para as mãos de noruegueses e holandeses.

FRANÇA

Títulos: 1 (1998)

Participações: 14

Última ausência: 1994

O fracasso francês nas eliminatórias para a Copa dos EUA é lembrado até hoje. O time de Éric Cantona, um dos grandes astros do Manchester United, chegou à reta final do qualificatório em situação bastante tranquila. Líder da chave, a França jogava em casa nas duas últimas rodadas e só precisava de dois pontos para selar a classificação. Só que aí começou seu pesadelo. Primeiro, perdeu de virada por 3 a 2 para Israel, lanterna de chave, com direito a gol sofrido no último minuto. A situação se repetiu contra a Bulgária: derrota de virada por 2 a 1. E o gol da eliminação saindo já nos acréscimos.

ESPANHA

Títulos: 1 (2010)

Participações: 14

Última ausência: 1974

Os espanhóis não foram para a Copa do Mundo de 1974 por um mero detalhe do regulamento das eliminatórias, que previa apenas o saldo de gols como critério para o desempate entre duas ou mais seleções. A Fúria terminou o Grupo 7 do qualificatório da Uefa empatado em pontos e saldo de gols com a Iugoslávia e, apesar de ter balançado as redes mais vezes que o rival, precisou disputar um jogo de desempate em campo neutro. No dia 13 de fevereiro de 1974, os espanhóis foram derrotados pelos iugoslavos por 1 a 0 e tiveram de ver o Mundial pela TV.

Tags:

Argentina
Copa 2018
Equador
repescagem
Nova Zelândia
Messi
jogo decisivo

voltar

Gol de Placa

O Blog Gol de Placa é de responsabilidade da Editoria de Esportes do Jornal de Fato. Tem a missão de fazer a cobertura em tempo real do esporte local, estadual, nacional e internacional.

Tabela Série "A"

Carregando...
Brasileirão

 

Tabela Série "B"

Carregando...
Série B