Domingo, 19 de novembro de 2017

Postado às 12h00 | 30 Out 2017 | Redação Artista mossoroense faz sucesso em Portugal com poesia nordestina

Crédito da foto: Alexandre Paixão/Portugal Slam O artista Carlos Guerra Júnior é conhecido em Portugal como Mossoró

O artista Carlos Guerra Júnior, conhecido em Portugal como “Mossoró”, foi um dos finalistas do Portugal Slam, campeonato nacional de poesia e performance. O Slam Poetry é um circuito que existe a nível mundial, onde os participantes devem recitar poemas autorais, sendo avaliadas a performance e a qualidade textual. O campeonato aconteceu neste sábado (28).

O circuito acontece com etapas regionais, nacionais e internacionais. São realizadas etapas com inscrições livres em cada localidade e depois os melhores qualificados disputam as finais regionais. “Mossoró” participou de etapas das cidades de Coimbra, Aveiro e da Margem Sul de Lisboa, classificando sempre para as finais. Em Coimbra e Aveiro, ficou em segundo lugar na final regional e na Margem Sul de Lisboa a etapa foi cancelada.

“É necessário haver mais de uma etapa em cada cidade, para depois fazer a final daquela localidade. Na Margem Sul só aconteceu uma, então acabou não ocorrendo uma final. Fiquei em segundo lugar em duas cidades, por centésimos, mas só passava o primeiro. Disputei então a última repescagem e consegui a vitória, classificando para a final nacional de Portugal. Fiquei muito feliz de estar em um evento tão importante, onde pude declamar meus textos, com a marca mossoroense e falando inclusive sobre coisas da minha terra”, destacou Carlos.

O artista vive em Portugal porque cursa doutorado em Ciências da Comunicação na Universidade de Coimbra, uma das mais renomadas do mundo e que inclusive é uma das duas universidades do planeta considerada patrimônio imaterial da Unesco. Todavia, faz também atividades paralelas como rapper, organizador de eventos culturais, poesia e RAPente, uma mistura entre rap e repente. Na final portuguesa do Portugal Slam, Carlos ficou na sétima colocação, mas relata que esteve satisfeito em participar do evento.

“O mais importante era ter a oportunidade de representar a poesia com sotaque nordestino em uma competição tão importante e vestido com a camisa do Baraúnas. Além disso, é meu primeiro ano como slammer. Apesar de ser próximo de outras coisas que faço, como o rap, tem características de performance específicas. Então, foi excelente estar em um nível tão alto. Agora é continuar nisso, sempre priorizando o doutorado, que está na reta final e devo finalizar no próximo ano”, comentou.

Além de participar da final do Portugal Slam, Mossoró cantou ao lado do rapper Marcelo D2 em um evento na cidade de Coimbra, na última sexta-feira (28). “Foi muito bom também. Fiz um freestyle contando que o Planet Hemp, grupo que ele fundou, foi o meu primeiro contato com a cultura hip hop. Ele gostou bastante e postou nas redes sociais dele. Na verdade, foram dias intensos. Quinta foi a classificatória para o nacional. Sexta a apresentação com D2 e sábado a final nacional. Uma maratona de atividades artísticas de peso”, salientou

Tags:

Carlos Guerra Júnior
mossoroense
Portugal
poesia
festival
Slam

voltar

Comida, Diversão e Arte

Benedito Ferreira Neto é graduado em Administração pela UFERSA , produtor cultural, sócio proprietário da Shade Produções e Eventos e colunista do "Comida, Diversão e Arte" no Jornal De Fato e no Defato.com