Domingo, 19 de novembro de 2017

Postado às 11h00 | 24 Ago 2017 | Ney Robinson Solidão e alimentos

Késsia Hadassa 
Nutricionista Clinica e Esportiva

As pessoas que vivem sozinhas tem dificuldades para se alimentar de modo saudável. Suas preocupações variam desde a compra de alimentos rápidos até o armazenamento e o preparo delas. Para elas, os restaurantes significam conveniência. Embora os alimentos de restaurantes costumem ser a maneira mais rápida, mais fácil e menos exigente para satisfazer a fome na hora da refeição, eles não satisfazem as necessidades de nutrientes e não garantem saúde. Geralmente, são muito calóricos, ricos em gordura saturada, sal e pobres em fibras.

Quanto aos alimentos prontos nos supermercados, é necessário estar atento à data de fabricação e ao prazo de validade. Busque as embalagens mais novas. Verifique também se os semicongelados ou congelados foram elaborados com gordura trans. Os enlatados também devem ser evitados pelo fato de conterem muito sal e conservantes. Além desses, os macarrões instantâneos são acompanhados de tempero, muito sal e produtos químicos como o glutamato monossódico, que é um realçador do sabor que estimula o apetite.

Com relação as frutas, compre apenas três unidades de cada fruta fresca: uma madura, uma meio-madura e uma verde. As polpas congeladas são alternativas em vez de sucos em pó, pois este são ricos em sódio e corantes artificiais. No preparo de omeletes, use verduras e legumes crus (chicória, espinafre, cenoura ralada).

O risoto é um prato fácil de preparar e pode ser feito com arroz comum, aproveitando os ingredientes que estão sobrando na geladeira. Fetuccini, espaguete, penne e uma diversidade de outras massas integrais ficam um delicia com um fio de azeite, manjericão e tomatinhos picados, cogumelos, etc.

As batatas congeladas vendidas para serem fritas podem ser usadas nos ensopados, nas sopas, e também assadas, misturadas a um punhado de ricota e temperos caseiros para obter um prato nutritivo e rápido. As saladas prontas para consumo, vendidas em saquinhos, são perfeitas para aumentar a chance de incluir os vegetais na refeição equilibrada.

É importante levar em consideração a solidão nos horários das refeições. A pessoa que vive sozinha deve aprender a relacionar alimento com sociabilidade. Cozinhe para você mesmo com se fosse convidar amigos, e prepare alimentos suficiente em pequenas porções para ser congelado, sendo consumido mais tarde. Se você conhece uma pessoa que come sozinha, compartilhe com ela, de vez em quando, uma refeição.

Tags:

Nutrição. Alimentação

voltar

Conexão Saúde

Ney Robson Vieira Alencar é especialista em Implantodontia com Pós-graduação em Prótese Dental/USP. Atende na Oral Clínica, localizada à Rua Pedro Velho, 99. Foi secretário de saúde do município de Alexandria (RN) e diretor-geral do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) em Mossoró (RN). Assina a coluna Conexão Saúde no Jornal de Fato e no Defato.com.