Quinta-Feira, 17 de agosto de 2017

Postado às 10h45 | 12 Ago 2017 | Coluna - 12 de agosto de 2017

Não tire uma vírgula

O texto do jornalista Josias de Souza está primoroso, justo, verdadeiro. Leia, sem tirar uma vírgula:

"À espera do julgamento do recurso judicial que pode convertê-lo em ficha-suja, Lula realizou mais um ato de sua campanha fora de época. Postulante ao posto de vítima, discursou à noite para petistas de Franco da Rocha (SP). Disse que os ataques que lhe fazem são endereçados, na verdade, ao PT. E comparou a legenda a ninguém menos que Tiradentes. “O PT é imortal”, declarou a certa altura.

Disse Lula: “Este país teve um homem chamado Tiradentes, que ousou começar a organizar o povo para lutar pela independência do Brasil. […] E resolveram matar esse cara. Mataram o cara, esquartejaram o cara, salgaram a carne dele e penduraram no poste, pra ninguém esquecer. O que aconteceu de verdade? O fato de você matar a carne não significa que você matou as ideias. E as ideias de independência deste país continuam…”

Mesmo sabendo que ninguém mais desconhece que os dois maiores escândalos da República — o mensalão e o petrolão — têm origem no seu reinado, Lula acredita que ainda pode dizer o que bem entender. Construiu um enredo de fábula. Nele, o PT é uma agremiação imaculada, que resiste às supostas tentativas de esquartejamento político.

Lula fala das conquistas do seu governo sem mencionar que o poste Dilma Rousseff, eletrificado por ele um par de vezes, desfez tudo o que seu criador considera ter feito. Se Deus escolhesse um lugar para viver, não ousaria escolher senão o Brasil idealizado de Lula. Como não pode, o próprio Lula o substitui.

Condenado a nove anos e meio de cadeia por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula fala como se o país inteiro estivesse disposto a pegar em lanças caso a Justiça se atreva a passá-lo na chave. “Se o problema é tentar evitar que o Lula seja candidato, isso não é problema. O problema do Brasil não é o Lula; são os milhões de lulas que existem neste país — mulheres, homens e crianças que aprenderam a ter confiança.”

Lula insinua que sua punição prejudicaria “204 milhões de habitantes deste país.” O todo-poderoso do petismo lamenta tanta injustiça: “O que eu não acho justo é tentar prejudicar o país inteiro…”

O orador ensinou à plateia que brigar por ele é como brigar por si próprio. Esse mesmo tipo de lero-lero estimulou a ilusão de que o impeachment de Dilma incendiaria as ruas. Depois, propagou-se a fantasia de que o país entraria em combustão se Lula fosse condenado. Dependendo do veredicto do TRF-4, sediado em Porto Alegre, o grande líder logo perceberá que o pior tipo de solidão é a companhia dos presos da Lava Jato, em Curitiba."

 

Eles estão voltando

Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brow vão presentear a boa música brasileira com a volta dos Tribalistas. "Diásporas", que levanta a questão dos refugiados, é uma das belas canções do novo trabalho.

 

Intervenção

Começa a ganhar um movimento pela intervenção federal na segurança pública do Rio Grande do Norte. Um grupo independente da sociedade civil lançou o movimento nas redes sociais. Ganha musculatura e eco.

 

Fundo bilionário é uma imoralidade

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Democratas do Rio, diz que é contra o fundo de R$ 3,6 bilhões para a campanha eleitoral do próximo ano. Dinheiro do povo, meu, seu, nosso, lembre-se. O piti de Maia com os colegas de Brasília, porém, não passa de jogo de cena. Ele acha que pode ser um nome para a sucessão presidencial; daí, o discurso para a galera. Ou alguém acha que Maia não vai oxigenar a sua campanha em 2018 com os milhões do fundo partidário "extra"? Bom... O fundo passou pela comissão de reforma política, passará pela Câmara e pelo Senado. O resto é pura balela.

 

Cara da política brasileira

Nível baixíssimo de debate entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o prefeito de São Paulo (SP), João Dória Júnior (PSDB). O primeiro diz que o segundo é um "nada"; e o segundo diz para o primeiro que é melhor "ser um nada do que ladrão." É lama na cara do outro, e vice-versa. Assim continuará, porque esse é o perfil do político brasileiro. Boca suja, mãos sujas, imagem suja. Com raríssimas exceções. O pior é que tem votos.

 

Santa Luzia

Nesta data, em 1949, foi decretado que o dia 13 de dezembro passaria a ser feriado municipal em homenagem ao Dia de Santa Luzia, padroeira dos mossoroenses. O feriado ficou estabelecido pelo 7.º decreto-lei 27/048, de 12 de agosto de 1949, assinado pelo prefeito Jerônimo Dix-sept Rosado Maia (1948/1950).

 

Segue

A Festa de Santa Luzia é o maior evento religioso do RN, com 10 dias de intensa programação religiosa e cultural. O ponto forte é a procissão do dia 13 de dezembro.

 

Nogueirão sofre com abandono

O velho estádio Nogueirão continua se arrastando, em detrimento do futebol mossoroense. Nesta semana, a torcida do Baraúnas foi impedida de assistir a um jogo do sub-19 porque faltam os laudos do Corpo de Bombeiros. Portões fechados. A situação tende a ficar ainda pior porque a Prefeitura se nega a assumir o estádio e a LDM não tem dinheiro para bancar as despesas.

 

Friboi

Ticiana Villas Boas, a mulher do bandido Joesley Batista, presenteou Patrícia Abravanel com um áudio, para livrar o deputado Fábio Faria da delação da J&F. Gente chique é outra coisa.

 

A professorinha gosta de política

Quem está ressurgindo das cinzas de 2016 é a ex-vereadora de Natal Amanda Gurgel. Ela trocou o PSTU pelo Psol, para ser candidata à Assembleia Legislativa nas próximas eleições. Amanda não quer mais voltar para a sala de aula, aliás, na qual ela não atua há vários anos, embora tenha usado a voz do "giz" para se apresentar ao grande público. Amanda vem aí de novo.

 

 É NOTÍCIA

1- Os bandidos levaram o Corola do conselheiro Carlos Thompson, do Tribunal de Contas do Estado. Ele estava com dois filhos quando sofreu o assalto em Natal. É a tal "percepção" da insegurança.

2- A Prefeitura de Mossoró vai fazer chamada pública para retomar cirurgias eletivas. A necessidade é urgente, diante da enorme fila de pessoas que esperam por uma cirurgia. Fila indiana.

3- Três municípios potiguares devem perder unidades judiciárias: Taipu e Poço Branco, na região do Mato Grande; e Governador Dix-sept Rosado, no Oeste. Mossoró vai absorver Dix-sept Rosado.

4- A diretoria do Sindiserpum está curtindo a Festa do Bode usando preto, contra o reajuste salarial de 3,93%. Os servidores, que voltaram a receber salário em dia, ainda não aderiram ao luto.

5- Hoje, tem a Feijoada do Dió, festa de confraternização dos ex-alunos do Colégio Diocesano Santa Luzia. Muita música e feijão, a partir das 13h, ao lado do ginásio Carecão. Vamos lá.

 

FRASE

"O Lula disse que o João Dória é um nada. Eu prefiro ser um nada do que um ladrão."

JOÃO DÓRIA – Prefeito de São Paulo, respondendo ao ex-presidente Lula.

Tags:

Lula
Josias de Souza
reforma política

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO