Quarta-Feira, 22 de novembro de 2017

Postado às 05h00 | 14 Set 2017 | Coluna - 14 de setembro de 2017

Finado Lula

A coluna reproduz artigo assinado por Gabriel Tebaldi, graduado em História pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), datado de 2016, mas bem atual no relato do fim melancólico da última expressão popular deste país, o ex-presidente Lula. Sob o título Finado Lula, escreve:

“Nunca entre num lugar de onde tão poucos conseguiram sair”, alertou Adam Smith. “A consciência tranquila ri-se das mentiras da fama”, cravou o romano Ovídio. “Corrupção é o bom negócio para o qual não me chamaram”, ensinou o Barão de Itararé.

E na contramão de todos está alguém que abriu mão de si mesmo pelo poder. Lula construiu uma história de vida capaz de arrastar emoções e o levar à presidência. Agora, de modo desprezível, o mesmo Lula destrói-se por completo.

Não é preciso resgatar o triplex, o sítio ou os R$ 30 milhões em “palestras” para atestar a derrocada do ex-presidente. Basta tão somente reparar a figura pitoresca na qual Lula se tornou.

O operário milionário sempre esbanjou o apoio popular e tomou para si o mérito de salvar o país da miséria. Contudo, junto disso, entregou-se aos afetos das maiores empreiteiras, não viu mal em lotear a máquina pública, nem constrangeu-se em liderar uma verdadeira organização criminosa.

Sem hesitar, brincou com os sonhos do povo e fez de seu filho, ex-faxineiro de zoológico, um megaempresário. Aceitou financiamentos regados a corrupção, fez festa junina para magnatas e mentiu, mentiu e mentiu. O resultado, enfim, chegou: ao abrir mão de si mesmo, Lula perdeu o povo.

Pelas ruas, o ex-presidente é motivo de indignação e fonte de piadas. Lula virou chacota, vergonha, deboche. Restou-lhe a militância do pão com salame e aqueles que tratam a política com os olhos da fé messiânica.

Seu escárnio da lei confirma sua queda. Lula ainda enxerga o Brasil como um rebanho de gado e não percebe que está só, cercado por advogados que postergam seu coma moral. Enquanto ofende o judiciário e todos aqueles que não beijam seus pés, Lula trancafia-se na bolha de quem ainda acredita que meia dúzia de gritos e cuspes podem apagar os fatos.

O chefe entrou num mundo sem saída, trocou sua consciência pelo poder e corrompeu-se até dissolver sua essência. Lula morreu faz tempo. Restou-lhe, apenas, uma carcaça podre que busca a vida eterna no inferno de si mesmo."

Em tempo: ontem, Lula sentou mais uma vez no banco dos réus, diante de Moro.

 

Trabalho

 Quem chega hoje a Mossoró é a consultora e especialista em relações do trabalho e Direito Constitucional, Sylvia Lorena de Teixeira Sousa. Vem debater a modernização da lei trabalhista em seminário que será realizado nesta sexta-feira, 15, no Garbos. Sylvia Lorena dividirá mesa com o deputado Rogério Marinho, relator da reforma trabalhista na Câmara Federal.

 

Sem razão

 A greve do Sindiserpum é um fiasco porque não tem razão de existir. Foi deflagrada por desejo dos sindicalistas ligados ao PT. E só. Entre a categoria não há clima para greve, apesar das dificuldades que enfrenta, principalmente em relação a salários. Os servidores entendem o esforço da gestão municipal de manter salário em dia e pagar o atrasado da gestão anterior.

 

Cadê o dinheiro?

 Em um dos trechos de sua delação, o corretor de valores Lúcio Funaro diz que o ex-ministro Henrique Alves (PMDB) "limpou" a sua conta em Dubai e trouxe o dinheiro para o Brasil. Antes, o "cacau" estava em banco suíço, mas foi transferido quando a Justiça quebrou o sigilo bancário da conta do Julius Baer. Agora a Justiça quer saber onde está o dinheiro. E rastreia.

 

Carimbo

 A Assembleia Legislativa quer "amarrar" o empréstimo de R$ 698 milhões solicitado pelo governador Robinson (PSD). Os recursos não podem ficar soltos, entendem os deputados, por isso, desejam carimbar na saúde e segurança pública.

 

Espelho

 O presidente Temer desabafou que no Brasil é "um querendo derrubar o outro", fazendo-se de vítima. O que o vizinho concorda plenamente, lembrando que ele derrubou Dilma. O ser humano é espelho do outro.

 

Elas

 Quatro vereadores de Natal disputarão as eleições de 2018: Eudiane Macedo, Natália Benevides e Nina Souza tentarão vaga na Assembleia Legislativa; e Carla Dickson à Câmara dos Deputados.

 

 É NOTÍCIA

1 - Hoje, tem parada nacional dos servidores públicos, contra o governo Temer (PMDB). Em Mossoró, será realizado ato na sede da Aduern e panfletagem na praça do mercado público, às 15h.

2 - Morreu aos 73 anos o empresário Siderley Menezes, pioneiro da TV a cabo no interior do RN. Fundador da Sidy's TV a Cabo de Currais Novos. Deixa o nome marcado na história da telecomunicação do Rio Grande do Norte.

3 - A vereadora Delkiza Cavalcante abriu mão do "auxílio alimentação" criado pela Câmara de Assú. Vai doar o valor mensal para entidades filantrópicas. A sociedade reagiu à ganância dos edis.

4 - O bispo dom Mariano Manzana conheceu o projeto do Santuário de Nossa Senhora Imaculada Conceição, de Pau dos Ferros. Agora reza para ter o mesmo fim do Santuário de Santa Luzia.

5 - Será celebrada hoje a missa de sétimo dia pela morte do empresário Nelson Lucas Pires, às 19h, na Capela São Paulo, no bairro Nova Betânia. Familiares e amigos se reunirão em oração.

 

FRASE

"Lula morreu faz tempo. Restou-lhe, apenas, uma carcaça podre que busca a vida eterna no inferno de si mesmo."

GABRIEL TEBALDI – Graduado em História pela UFES, que assina o comentário de opinião da coluna.

 

Tags:

Lula
Henrique Alves
empréstimo
Assembleia Legislativa

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO