Sexta-Feira, 15 de dezembro de 2017

Postado às 16h45 | 05 Dez 2017 | Igreja Católica decide intermediar a crise entre grevistas e governo

Crédito da foto: Marcos Garcia Professores da Uern entraram em greve no dia 13 de novembro reclamando salários atrasados

A Igreja Católica decidiu intermediar a crise entre os professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e o governo Robinson Faria (PSD), como forma de encontrar uma solução e preservar a instituição de ensino superior. A decisão foi tomada pelo arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz, e o bispo de Mossoró, Dom Mariano Manzana.

 Os religiosos se reuniram nesta terça-feira (5) na Cúria Diocesana, em Mossoró, ao lado do padre Sátiro Cavalcanti Dantas, ex-reitor da Uern, quando colocaram em pauta a situação da instituição, bem como a crise que afeta os servidores públicos estaduais, que vêm recebendo os salários em atraso de até dois meses.

A cúpula da Igreja Católica decidiu solicitar uma audiência com o governador Robinson Faria para falar sobre a atual situação da universidade e a crise financeira a qual ela vem sendo submetida, além de discutir os atrasos salariais, que assombram os trabalhadores e trabalhadoras do RN desde janeiro de 2016.

Os bispos se manifestaram através de uma nota assinada, onde reiteram seu apoio e compromisso com a Uern e com todo o funcionalismo público estadual.

Veja o conteúdo completo da nota:

 

NOTA DOS BISPOS DO RIO GRANDE DO NORTE

Excelentíssimo Senhor

Robinson Mesquita de Faria

Governador do Estado do Rio Grande do Norte

Não é de hoje que a Igreja Católica, como parte da sociedade potiguar, vem acompanhando as manifestações da sociedade em defesa da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, as quais vêm ganhando cada vez mais notoridade, em função dos últimos acontecimentos, envolvendo servidores dessa tradicional Instituição de Ensino Superior e o Governo do Estado.

No cerne de todo esse processo, está a luta por melhores condições de trabalho e estudos, além da permanência da UERN como instituição de ensino pública, gratuita e de qualidade, cujo legado revela seu importante papel no desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Norte e na transformação social da população, deste estado, especialmente a mais carente. Mais recentemente, não deixando de considerar a relevância dos demais temas, a pauta reivindicativa dos que fazem a UERN, pelo que nos tem sido anunciado, gira em torno do pagamento, por parte do Governo do Estado, dos salários dos servidores, garantindo-lhes o direito de proverem a si e a seus familiares, por meio do seu trabalho, o que torna a causa legítima, justa e digna.

Diante desse contexto e do entendimento de que a Igreja tem grande responsabilidade social, ao assumir uma postura ativa no desenvolvimento, entre os cristãos, do espírito de participação na construção de uma sociedade sempre melhor, mais justa e capaz de promover a paz e o bem-estar social, os Bispos do Rio Grande do Norte, reunidos, hoje, em Mossoró, vêm respeitosamente, solicitar a Vossa Excelência uma audiência para tratar da atual situação da UERN, assim como dos demais servidores e pensionistas do Estado. Nessa audiência, estaremos acompanhados de representantes dos Padres do Estado.

Mais do que buscar compreender a temática em tela, a Igreja Católica objetiva contribuir na construção de caminhos para a solução do problema que ora se apresenta.

Antecipadamente, manifestamos nossos agradecimentos pela atenção em atender a esta demanda, colocando-nos à disposição.

Mossoró-RN, 5 de dezembro de 2017

Dom Jaime Vieira Rocha

Arcebispo de Natal

Dom Mariano Manzana

Bispo da Diocese de Mossoró

Dom Antônio Carlos Cruz Santos

Bispo da Diocese de Caicó

Tags:

Bispos
Igreja Católica
nota
Uern
Governo do RN
Robinson Faria
salários
greve
ocupação

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO