Domingo, 23 de setembro de 2018

Postado às 09h15 | 10 Jul 2018 | Coluna César Santos - 10 de julho

Crédito da foto: Carlos Costa/PMM Nova roupagem do espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró foi uma das coisas boas

QUAL O MOSSORÓ CIDADE JUNINA QUE QUEREMOS

A edição 2018 do Mossoró Cidade Junina começou mal e terminou bem. O desgaste com atraso na instalação da estrutura e o desabamento de parte de camarote privado, na primeira noite, foi atenuado por pontos positivos como a nova roupagem do espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró e a qualidade de shows na Estação das Artes, com destaque para o de Alceu Valença.

Passe a régua.

Agora, é o momento de discutir o MCJ. E duas perguntas exigem respostas imediatas:

1 – A cidade quer ou não quer o evento?

2 – Qual é a proposta para o São João de Mossoró?

A resposta para a primeira pergunta está na ponta do lápis. Se quer o Cidade Junina forte, que tenha orçamento para bancar o alto custo. Um evento dessa natureza não é barato. É um investimento alto.

Portanto, o gestor público tem que perguntar direto à população: “Vocês querem o evento? Se querem, tenha a consciência de que o custo é alto.” Não adianta contar moedas. Atrações são caras, estrutura é cara, evento é caro.

Aliás, é um absurdo a Secretaria Municipal de Cultura ter menos de 30 servidores para organizar um evento do tamanho do MCJ, além de cuidar de outros eventos importantes como a Festa da Liberdade, por exemplo.

A resposta para a segunda pergunta foi dada pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP) neste ano, ao afirmar que o Cidade Junina se tornaria o São João mais cultural do País. Ótimo, afinal, Mossoró não tem condições de disputar o título de maior do País.

Ser o mais cultural é uma grande sacada. No entanto, precisa colocar em prática. Não vimos neste ano. Pelo contrário. O Cidade Junina perdeu expressões importantes, uma vez que projetos culturais deixaram de existir.

Veja o que o MCJ tinha e deixou de ter em 2018:

1 – Praça de Eventos;

2 – Festival de Bonecos e Mamulengos – Botando Boneco;

3 – Fórmula Jegue;

4 – Brinquedo e Brincadeiras Populares;

5 – Festa da Colheita;

6 – Tapera Cor;

7 – Burro Táxi;

8 – Concurso de Maquete Junina;

9 – Festival de Humor – Sorrindo no São João;

10 – Circo do Forró;

11 – Seminário do Cangaço;

12 – Festival Canta Sanfona;

13 – Memorial Jazz;

14 – Feira de Artesanato;

15 – Feira de Comidas Típicas.

Portanto, se a cidade quer ter um São João entre os maiores do País, assumindo a identidade de multicultural, que o faça de forma correta. E que tal começar a pensa nisso a partir de agora?

Não vale deixar para última hora, como aconteceu este ano. Os imprevistos não perdoam.

 

FRASE

"Só quem perdeu hoje foi a ordem jurídica constitucional e o próprio Poder Judiciário."

ERICK PEREIRA – Jurista sobre o vaivém de Lula solto, Lula preso.

 

PARA UNS

 O Governo do Estado paga até o final desta semana o adiantamento de 40% do décimo terceiro para servidores da Educação na ativa. Ressalte-se, referente a 2018. Quanto ao décimo do ano passado, o governo ainda não sabe quando vai pagar. O governador Robinson Faria (PSD) tem dito que cumprirá o dever quando entrar o dinheiro da antecipação dos royalties de petróleo.

 

EUROPEUS

 Os brasileiros vão trabalhar, mas não se esqueça: hoje tem jogão pelas semifinais da Copa do Mundo da Rússia. França, do genial Mbappé, encara a Bélgica do trio De Bruyne, Hazar e Lukaku. O vencedor fará a final contra o classificado entre Croácia, de Modric, e Inglaterra, do artilheiro Kane, que jogarão nesta quarta-feira, 11. As sêmis e a grande final viraram torneio europeu.

 

É PRA VALER

 O uso de "laranjas" para completar a cota de candidatas mulheres será alvo de fiscalização rígida da Justiça Eleitoral. Antes e após as eleições. Os partidos que cometerem o crime serão penalizados, conforme determinação do TSE. Candidatas que terminarem as eleições com um ou dois votos serão investigadas.

 

COMANDANTE

 Foi o ex-ministro José Dirceu que conduziu a caneta do desembargador Rogério Favreto. Sabia que Lula não seria solto, mas atrairia o juiz Sérgio Moro para a arena, com o propósito de afastá-lo dos processos de Lula. E quem soltou Dirceu para comandar a batalha?

 

PONTA DA CANETA

 O empresário Tião da Prest (PR) não está disposto a gastar dinheiro em campanha eleitoral sem futuro. Razão única da retirada de sua pré-candidatura à Câmara dos Deputados.

 

É FEDERAL

 PP, PSB e PR vão apoiar o candidato a governador que oferecer a melhor coligação para renovar os mandatos dos deputados federais Beto Rosado e Rafael Motta e eleger o ex-deputado João Maia. A chapa federal se sobrepõe à majoritária.

 

 É NOTÍCIA

1 - Hoje é o Dia Mundial da Lei. No Brasil, sem motivo para comemoração. O Judiciário de Favreto não deixa. Hoje, também se comemora do Dia da Pizza. Quanta ironia.

2 - Fim de semana com oito mortes violentas em Mossoró. A cidade chegou a 138 assassinatos no ano. Uma das vítimas, a adolescente Vitória Filgueira, de apenas 16 anos, morta com um tiro na cabeça. O autor? A polícia não sabe. O RN sofre.

3 - A estimativa de inflação para o ano subiu de 4,03% para 4,17%. Aumento pela oitava semana seguida. Na projeção de crescimento da economia, o PIB, caiu de 1,55% para 1,53%.

4 - O padre Charles Lamartine está de volta do Chile, onde participou da 1ª Jornada Pedagógica Internacional de Educação. Em busca de ampliar a qualidade de ensino do Colégio Diocesano.

5 - "Capelinha do Forró", da Bahia, foi a campeã do Nordestão de Quadrilhas Juninas, realizado em Mossoró no fim de semana. E a Capelinha se despediu dos arraiás após 20 anos de sucesso.

Tags:

Mossoró Cidade Junina
São João
multicultural
Rosalba Ciarlini
prefeita
projeto

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO