Terça-Feira, 23 de outubro de 2018

Postado às 10h45 | 10 Ago 2018 | Coluna César Santos - 10 de agosto

Crédito da foto: Reprodução Corpos tombam todos os dias no Rio Grande do Norte

RIO GRANDE DA MORTE

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira, 9, o Rio Grande do Norte é o estado com maior taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes. Os dados referentes ao ano de 2017 revela uma taxa de 68 mortes/100 mil habitantes.

Em seguida aparecem Acre (63,9) e Ceará (59,1).

As menores taxas estão em São Paulo (10,7), seguida de Santa Catarina (16,5) e Distrito Federal (18,2), estados do Sul/Sudeste.

As capitais com as menores taxas são Rio Branco (AC), com 83,7 por 100 mil habitantes, Fortaleza (CE), com 77,3, e Belém (PA), com 67,5. Natal é a segunda com maior taxa de mortes violentas do país: 67,2. Foram 595 mortes violentas somente na capital potiguar em 2017. A capital com maior taxa do país é Belém: 67,5.

O alto índice de mortes violentas no RN havia sido revelado pelo Observatório da Violência Letal e Intencional (OBVIO), em 1º de janeiro deste ano, mas questionado pelo governador Robinson Faria (PSD). De acordo com a ONG, o estado teve 2.405 homicídios no ano passado, quebrando todos os recordes. Já a Secretaria de Segurança Pública (SESED), questionando os números do OBVIO, apontou que houve 2.383 assassinatos.

O RN teve uma média de quase sete (6,61) homicídios por dia no ano passado. O total de assassinatos em relação a 2016 foi 20,5% maior, quando foram registrados 1.995 homicídios. Segundo o instituto que contabiliza os crimes contra a vida no estado, a marca histórica de 2 mil mortos em menos de um ano foi atingida em outubro de 2017.

O cenário é assustador e está longe de ser combatido. Pelo contrário. A escalada da violência cresce a passos largos no RN, enquanto as forças de segurança parecem amarradas ao poste da incapacidade administrativa. Para se ter ideia, neste ano, só em Mossoró, já foram contadas quase 160 mortes violentas e, a continuar dessa forma, baterá os números de 2017, que somaram 243 homicídios.

É uma crueldade com o cidadão de bem, com a sociedade, mas também faz barulho como um tapa na cara do “governo da segurança”, prometido por Robinson Faria. Ele disse que o RN será o estado mais seguro do País e que entraria para a história como o melhor governador para a segurança pública.

Fracassou.

Sob a batuta de Robinson Faria, o RN vive a pior crise na segurança pública e não há, até aqui, qualquer perspectiva de que vai melhorar com ele. Infelizmente.

 

FRASE

"Eu dou uma nota sete para ele (governo Robinson Faria)."

TIÃO DA PREST – O candidato a vice-governador ao mudar seu conceito sobre o governador Robinson.

 

"COBAL"

 Nesta data, em 1999, o município de Mossoró comprava o antigo imóvel da Cobal, o transformando em Centro de Comercialização, que recebeu o Mercado da Carne e do Peixe. Era o primeiro ano da primeira gestão da prefeita Rosalba Ciarlini, hoje administrando a cidade pela quarta vez. A Prefeitura pagou R$ 435 mil, com R$ 18.500 de entrada e o restante em 96 parcelas.

 

LAVA JATO

 A Petrobras recebeu a devolução de R$ 1,03 bilhão por meio de acordos de colaboração e leniência celebrados no âmbito da operação Lava Jato. É a maior restituição recebida em um único período. Os recursos recuperados e transferidos para a companhia já soma mais de R$ 2,5 bilhões. Para quem não gosta da turma do Moro, um tapa na cara. Para o País, uma bênção.

 

SEGURANÇA

 Os militares vão debater segurança pública com os candidatos a governador do Rio Grande do Norte. Será no dia 5 de setembro, com transmissão ao vivo pela Band Natal. As entidades enviaram convites para os oito candidatos. Não há certeza da presença do governador Robinson Faria (PSD).

 

FAFÁ ROSADO

 A ex-prefeita de Mossoró, como antecipado pelo JORNAL DE FATO, não disputará as eleições apesar de constar na lista do PSB para a Assembleia Legislativa. Ela, porém, não ficará de fora. Apoiará o governador Robinson Faria (PSD) e o candidato a deputado estadual Jorge do Rosário (PR).

 

PLENÁRIO

 A Câmara Municipal de Mossoró ainda não realizou sessão no retorno do recesso parlamentar, devido a obra de reforma e ampliação do plenário. Os serviços devem ficar prontos em duas semanas, e as sessões serão reiniciadas em setembro.

 

FANTASMA

 Kadydja Rosely, mantida na Assembleia Legislativa do RN pelo deputado Nélter Queiroz (MDB), reside em Foz do Iguaçu. Ela recebia salário de R$ 14.832, a 3.755 km do Palácio José Augusto. Nélter jura que é inocente.

 

 É NOTÍCIA

1 - Hoje, completa 38 anos da morte de Manuelito, o fotógrafo de todos os tempos. Manuelito Pereira dos Santos Benigno Magalhães era cearense e escolheu Mossoró para viver e fazer história.

2 - Se aprovado no orçamento 2019, pelo Congresso Nacional, o aumento de 16,3% nos salários dos ministros do STF, provocará um "efeito cascata" de R$ 4 bilhões nas contas públicas. Os ministros supremos consideram o aumento justo.

3 - O cantor Gilberto Gil, do time dos melhores do Brasil, foi ouvido em depoimento pelo juiz da Lava Jato Sérgio Moro, quando diz não saber de nada dos ilícitos do amigo Lula (PT). Ok.

4 - A Frente Popular realiza em Mossoró mais uma edição do Seminários Regionais, que visa reforçar o nome da senadora Fátima Bezerra (PT) ao governo do RN. Será amanhã, no Ibis, às 9h.

5 - Zé Lezin é a atração da noite de hoje no bar das piscinas do Hotel Thermas de Mossoró. Apresenta o show "Presidente do Humor". Antes, tem boa música de Raízes do Sertão. A partir das 21h.

Tags:

Coluna
César Santos
JORNAL DE FATO
violência
Rio Grande do Norte

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO