Quinta-Feira, 13 de dezembro de 2018

Postado às 10h45 | 06 Dez 2018 | Coluna César Santos - 6 de dezembro

Crédito da foto: Reprodução Fátima Bezerra e Robinson Faria foram aliados no início da atual gestão

A DÍVIDA É DO ESTADO

O vice-governador eleito Antenor Roberto (PC do B) afirma que os salários atrasados dos servidores públicos são de responsabilidade do atual governo. É verdade. Também é verdade que a partir de 1º de janeiro a responsabilidade passa a ser do governo que se iniciará, ou seja, da gestão da governadora eleita Fátima Bezerra (PT).

Os servidores são do Estado e não de Robinson. O estado do Rio Grande do Norte é único. A dívida não pode nem deve ser fulanizada. É do estado e cabe ao gestor do momento trabalhar para resolver o problema.

Já se sabe que o governo Robinson deixará em aberto a folha de dezembro e o 13º salário do funcionalismo. É possível ainda, que o restante do 13º de 2017 também fique para o próximo governo pagar. Não é só isso. O “resto” a pagar, que inclui dívidas com fornecedores e prestadores de serviço, pode chegar a R$ 2 bilhões. Cairá no colo da futura governadora.

Caberá a Fátima Bezerra, e ela já sabia disso, encontrar os meios para o estado honrar os compromissos salariais e com os credores do estado. Na campanha eleitoral, a petista repetiu à exaustão que estava consciente do tamanho do problema que encontraria, mas que tinha a absoluta certeza de que estava pronta para governar o velho e sofrido RN.

E que o futuro governo fará de tudo para liquidar as dívidas com os servidores públicos?

Nos bastidores do processo de transição de governo, como já revelado aqui, especula-se a possibilidade, cada vez mais provável, de fatiar o pagamento dos salários atrasados em longas e suaves parcelas. Inclusive, até uma tabela de parcelamento, dividida de acordo com a faixa salarial, está sendo comentada. Quem ganha mais receberia o atrasado em prazo longo; quem ganha menos, teria parcelas mais curtas.

Verdade, ou não, o fato é que o cofre do estado não tem lastro para atualizar os salários do funcionalismo, nem para saldar dívidas com fornecedores e prestadores de serviço. Essa equação, muito provavelmente, demandará tempo e dependerá, exclusivamente, da reação positiva da máquina arrecadadora e enxugamento de despesas do aparelho público estadual.

Portanto, não espere milagres. Fátima já disse que não tem a fórmula mágica, mas prometeu adotar as medidas, antipopulares se for preciso, para recuperar a saúde fiscal e financeira do Rio Grande do Norte.

Só resta, então, esperar. E rezar que venham dias melhores no ano que se aproxima. Amém.

 

FRASE

"Não critique o STF em voz alta; eles chamam a Polícia Federal."

JOSIAS DE SOUZA – Jornalista, repercutindo a detenção de um advogado por criticar o STF na frente do ministro Ricardo Lewandowski.

 

TERCEIRIZADOS

 A Câmara Municipal de Mossoró decidiu realizar audiência pública para debater os contratos terceirizados do município. A iniciativa da vereadora Aline Couto é oportuna uma vez que os serviços terceirizados não vêm cumprindo o seu dever e as empresas têm castigado seus funcionários com atraso de salários e horas extras. A audiência foi marcada para terça-feira, 11, às 15h.

 

EXTREMA POBREZA

 Entre 2016 e 2017 a crise jogou mais de 2 milhões de brasileiros na linha de extrema pobreza. Subiu de 13,5 milhões de pessoas para 15,2 milhões, um aumento de 6%. São pessoas com renda inferior a US$ 1,90 por dia. Números coletados pelo IBGE, divulgados nesta quarta-feira, 5, que confirmam o quadro de desigualdade no País, uma vez que a maioria tem origem no Nordeste.

 

DESÇA DO MURO

 Com pé dentro do futuro governo Bolsonaro, o deputado federal potiguar Rogério Marinho ganhou uma dor de cabeça. O seu partido, o PSDB, ameaça expulsar dos quadros o tucano que participar do governo do capitão. Marinho ficará desempregado a partir de janeiro, já que as urnas lhe negaram a renovação do mandato.

 

PREVIDÊNCIA

 O Congresso começa a votar a reforma da previdência em seis meses. "Pode ter certeza", crava o presidente eleito Jair Bolsonaro. Ele vai apresentar uma proposta fatiada com ênfase na discussão por idade mínima para aposentadoria. A reforma é fundamental para equilibrar as contas públicas do país.

 

GULA

 A presidente Izabel Montenegro (MDB) terá na pauta desta quarta-feira, 5, a proposta de exumação da famigerada verba de gabinete. Mas, certamente não vai conseguir segurar a "gula" dos colegas. Na próxima semana eles votam e aprovam.

 

SEU BOLSO

 A verba de gabinete voltará com valor de R$ 4,5 mil/mês para cada um dos 21 vereadores. Despesa a mais de R$ 94,5 mil por mês e de R$ 1.134 milhão por ano. Sai do bolso do contribuinte.

 

 É NOTÍCIA

1 - Os jornalistas de Natal escolheram Hermano Morais (MDB) o ''Deputado do Ano" e Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) o "Parlamentar da Legislatura". E o que isso significa? Nada. Nada. Nada.

2 - Nesta data, em 1951, Getúlio Vargas enviava ao Congresso decreto de criação da Petrobras - Petróleo Brasileiro S/A, instituída dois anos depois, em 3 de outubro de 1953, com a sanção do presidente. Seis décadas depois, a estatal é colocada a toda prova.

3 - A educação é tema da novena de Santa Luzia na noite desta quinta-feira, 5. O pregador será o padre Antônio Carlos, da Paróquia de São José. A novena começa às 19h, na catedral.

4 - O engenheiro e construtor Sérgio Freire será reconduzido à presidência do Sinduscon Mossoró, em reeleição de consenso nesta quinta-feira, 5. Ele cumprirá o triênio 2019/2022.

5 - Vágner Araújo vai assumir a direção comercial dos Correios, com a missão de inserir a empresa na era digital. Deixa a Sethas e a Gestão de Governo de Robinson Faria. Vagner é talentoso.

Tags:

Fátima Bezerra
Robinson Faria
RN
crise
fiscal

voltar

Capacite-se: Cursos Sebraeb

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO