Segunda-Feira, 21 de janeiro de 2019

Postado às 10h15 | 11 Jan 2019 | Estado deve R$ 16 milhões a Mossoró por serviços de Saúde

Crédito da foto: Carlos Costa/PMM Secretária de Saúde de Mossoró, Saudade Azevedo

O Estado do Rio Grande do Norte deve cerca de R$ 16 milhões ao Município de Mossoró por conta da falta de repasses para serviços de saúde.

Essa informação foi repassada pela secretária municipal de Saúde, Maria da Saudade Azevedo. Segundo ela, desde 2010 o Governo não repassa a sua participação em contrapartidas obrigatórias para o funcionamento de serviços de saúde diversos. “Fizemos um estudo em Natal, que apontou que uma UPA custa entre R$ 1,5 milhão e R$ 1,7 milhão por mês.

Desse total, o Governo Federal financia no máximo R$ 350 mil. É um financiamento tripartite (Município, Estado e União), mas desde 2010 que os Municípios não recebem R$ 1,00 do Governo do Estado. A dívida com Mossoró é de cerca de R$ 16 milhões, entre contrapartidas obrigatórias de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e Farmácia Básica. Com esses recursos, poderíamos renovar a frota do Samu, reequipar as UPAs. É preciso realmente um olhar maior e melhor sobre isso”, revelou a secretária.

São recursos que fazem falta, por exemplo, para que a Prefeitura de Mossoró possa implantar projeto de integração dos médicos da rede municipal às escalas das UPAs.

Essa uma ação que já está em estudo e que vai iniciar com projeto piloto a ser implantado na UPA do Alto de São Manoel.

Em entrevista ao programa Cenário Político, da TCM, Saudade Azevedo disse que a intenção é ampliar o número de médicos que prestam atendimento nas UPAs, a partir de uma escala mista, com profissionais da rede e da cooperativa Sama, que hoje é a responsável pelos plantões médicos nas três UPAs de Mossoró. “Vamos abrir um edital para contratação de médicos do Município, suprir essa necessidade, essa deficiência, eu acho que vai ser um grande avanço”, pontuou.

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde, o projeto será executado em longo prazo. Hoje, a quantidade de médicos de plantões nas UPAs varia. Na manhã desta quinta-feira (10), por exemplo, havia dois médicos realizando atendimento na Unidade do Alto de São Manoel, três na UPA do Belo Horizonte e outros três na UPA do Santo Antônio.

Fonte: Edição impressa do JORNAL DE FATO

Tags:

Saúde
RN
Mossoró
UPAs
Saudade Azevedo

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO