Domingo, 26 de maio de 2019

Postado às 09h30 | 15 Mai 2019 | Coluna César Santos - 15 de maio

Crédito da foto: Senado Senador Styverson Valentim

FUZIL 5.56 NAS MÃOS DROGADAS

O senador Styvenson Valentim (Podemos/RN) não tem papas na língua. Diz o que quer, na hora que quer. Mas, reconheça-se, o que ele fala é sustentado em sentido lógico, e quase sempre sugere o debate em torno do tema. É o caso do momento, repercutido pela chamada grande imprensa: o capitão está defendendo o exame toxicológico obrigatório de policiais militares.

Em entrevista ao portal de notícias UOL, o senador justificou a proposta, questionando o repórter: “Vocês sabem quantos policiais hoje estão segurando um fuzil 5.56, uma calibre 12, que usam crack? Que cheiram cocaína?”. E seguiu: “Sabe por que não sabemos qual é esse número? Porque não é feito exame toxicológico obrigatório.”

O capitão Styvenson, batizado de “Robocop da Lei Seca”, afirma que não são poucos os policiais que se drogam durante o trabalho. Ele tem autoridade e conhecimento para falar. Conhece a corporação da PM potiguar, da qual faz parte por 15 anos, e já viu de perto muita coisa errada. Por isso, sente-se à vontade para questionar: “Como que você vai atuar nas ruas, no policiamento, muito doido?” E ensina: “O policial que está na rua lidando com o público não pode estar alterado, drogado, para não colocar a população em risco.”

Valentim vai adiante: “Um cara desse (policial) pode ser também um corrupto. Vai prender um traficante e tomar a droga dele.”

Para deixar claro que não está imprimindo um discurso de político e que realmente sempre defendeu a retidão e a capacidade dos policiais militares, ele afirma que fez o exame toxicológico quando estava na corporação, para mostrar que não era usuário de drogas e dá exemplo aos companheiros de farda.

No Senado, o capitão Styvenson prioriza o PLC 37/2013, já aprovado na Câmara e que tramita há seis anos no Senado, que endurece a legislação brasileira sobre drogas aumentando penas. Entre os pontos mais polêmicos, o projeto traz a previsão de internação compulsória de viciados e regulamenta a atividade das comunidades terapêuticas, criando políticas para tratamento e acompanhamento das vítimas de abusos de substâncias.

Pois bem.

O que Styvenson Valentim diz, poucos têm coragem de falar. Ele mexe num vespeiro que dentro da corporação é tratado com muito medo. É claro que as declarações do senador provocarão a revolta de muitos, e principalmente daqueles que decidiram trilhar o caminho errado. É provável que a proposta de exame toxicológico não seja levada a sério, nem no Rio Grande do Norte, nem no Brasil.

Agora, não há dúvida de que o cidadão de bem se sentirá ainda menos seguro ao saber que tem um policial ''muito doido" segurando um fuzil 5.56 ou uma escopeta de calibre 12.

 

FRASE

"Você sabe quantos policiais hoje seguram um fuzil 5.56 que usam crack, que cheiram cocaína?"

Styvenson Valentim – Senador da República pelo RN.

 

PREGÃO

 A governadora Fátima Bezerra (PT) vai fazer a segunda tentativa de vender a receita antecipada dos royalties de petróleo e gás, para atenuar o ''rombo" na previdência estadual. O novo pregão eletrônico está previsto para a primeira quinzena de junho. Na primeira tentativa, não apareceu interessado. Deu deserto. O governo esperava arrecadar pelo menos R$ 350 milhões.

 

TURMA DA PESADA

 A delação de um dos donos da Gol cita como recebedor de propina o ex-presidente Temer, o atual presidente da Câmara Rodrigo Maia, os ex-presidentes da Câmara Henrique Alves e Eduardo Cunha, o ex-senador Romero Jucá, um filho do ex-presidente Lula, o senador Vicente (PT), ex-ministro Geddel Vieira Lima. Todos, sem exceção, juram que são inocentes, almas limpas.

 

DE OLHO EM 2020

 O prefeito de Natal, Álvaro Dias, vai deixar o MDB, e, como a política é dinâmica, se filiará a um partido próximo à governadora Fátima Bezerra (PT), inimiga política do passado. Os dois estão bem próximos, quase carne e unha. O prefeito poderá optar pelo PSB, sigla que faz parte da base de apoio ao governo de Fátima.

 

DE SAÍDA

 O PRB de Mossoró perderá seus dois vereadores. Didi de Arnor e Raério Araújo vão se transferir para outras siglas. Didi se filiará a um partido afinado com o Palácio da Resistência, e Raério buscará uma sigla de oposição. Já o PRB será controlado por Rodrigo Azevedo "Bolão".

 

SIGILO

 A Brasil de Todos Comunicação, que fez a campanha da governadora Fátima Bezerra (PT) em 2018, está no olho do furacão. O TRE-RN decidiu manter a quebra de sigilo bancário no processo que investiga as contas da campanha da governadora. Vai dar dor de cabeça.

 

LAR DOCE LAR

 A Sexta Turma do STJ mandou o ex-presidente Michel Temer (MDB) ir para casa, e levar junto o seu amigo Coronel Lima. Vai ficar vigiado dentro de casa por Marcela, e fora de casa pelos homens da Justiça (?).

 

 É NOTÍCIA

1 - O Governo do Estado paga hoje os salários de maio para quem ganha até R$ 5 mil, e antecipa 30% a quem recebe acima desse valor. O pagamento será concluído no fim do mês.

2 - Em 1975, nesta data, teatros de SP fizeram greve contra a censura a ''Abajur Lilás", de Plínio Marcos, a 400ª peça proibida pelos militares desde 1964. Registro para Bolsonaro não se esquecer que a ditadura militar foi cruel com o Brasil e com os brasileiros.

3 - Hoje, tem paralisação nacional contra os cortes de investimentos na Educação. Em Mossoró, os protestos serão comandados por professores e alunos da Ufersa, Uern e IFRN.

4 - Morreu o empresário e produtor Euzim Alves dos Santos, aos 67 anos, por insuficiência renal. Euzim foi membro da CDL, Acim e fundador da empresa Purofrut, marca de polpa de frutas.

5 - A juíza Adriana Cavalcanti Magalhães Faustino Ferreira é a nova titular do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN), nomeada pelo presidente Jair Bolsonaro. Ela já atuava na Corte Eleitoral.

Tags:

Coluna
César Santos
JORNAL DE FATO

voltar

AUTOR

César Santos é jornalista desde 1982. Nasceu em Janduís (RN), em 1964. Trabalhou nas rádios AM Difusora e Libertadora (repórter esportivo e de economia), jornais O Mossoroense (editor de política no final dos anos 1980) e Gazeta do Oeste (editor-chefe e diretor de redação entre os anos 1991 e 2000) e Jornal de Fato (apartir dos anos 2000), além de comentarista da Rádio FM Santa Clara - 105,1 (de 2003 a 2011). É fundador e diretor presidente da Santos Editora de Jornais Ltda., do Jornal de Fato, Revista Contexto e do portal www.defato.com.

COTAÇÃO