Quarta-Feira, 19 de setembro de 2018

Postado às 11h30 | 28 Ago 2018 | Redação JORNAL DE FATO chega aos 18 anos consolidando a marca do Jornalismo de Verdade

Crédito da foto: Carlos Costa/JORNAL DE FATO/Arquivo Leitor Luís Gonzaga com uma das primeiras edições do JORNAL DE FATO

O JORNAL DE FATO nasceu do sonho de uma geração de jornalistas da década de 80, todos formados na redação de jornal impresso, sem diploma da academia, mas com o jornalismo na veia e no coração. Essa geração, que passou pela redação do centenário O Mossoroense, ganhou experiência em outras redações, mas sabia do espaço aberto para o surgimento de um jornal que viesse a estabelecer nova fase no jornalismo de Mossoró e do Rio Grande do Norte.

O início da década de 2000 foi marcante, porque abriu caminho para a realização desse sonho, com a fundação da Santos Editora de Jornais Ltda., que deu vida ao JORNAL DE FATO. Coube aos jornalistas César Santos e Carlos Santos, que juntos iniciaram carreira no jornal O Mossoroense, em 1985, planejar e executar o projeto do novo jornal.

César Santos tinha acabado de se despedir da redação da Gazeta do Oeste, na qual passou 12 anos de sua vida profissional e respondia pela direção de redação. Carlos Santos, que também foi editor-chefe da Gazeta do Oeste, já caminhava em carreira solo, com o seu informativo “Herzog Press”, distribuído para assinantes através de telefax. Daí, juntos, entenderam que havia chegado o momento de oferecer um novo veículo de comunicação impresso ao leitor.

O 28 de agosto de 2000 foi a data memorável. Era lançada a primeira edição do JORNAL DE FATO, numa solenidade bastante concorrida no auditório do Sesiclube, com a presença de autoridades públicas e de leitores que esperavam pela boa-nova. O evento foi prestigiado pelo governador Garibaldi Alves Filho (PMDB), hoje senador da República; prefeita Rosalba Ciarlini; presidente do Fórum Municipal Silveira Martins, hoje desembargador Cornélio Alves; deputados federais Betinho Rosado e Sandra Rosado, além de tantas outras autoridades do mundo político, jurídico, empresarial e de vários segmentos da sociedade.

Em suas falas, os jornalistas-fundadores afirmaram o compromisso de o DE FATO estabelecer uma nova forma de fazer jornalismo, sem abrir mão de princípios básicos como respeito à notícia, ao leitor, anunciantes e, acima de tudo, sem abrir da ética e da boa informação. “Esse é um projeto de uma geração que sonhou o sonho de fazer um jornalismo diferente, com linha editorial ampla, sem abrir mão dos fatos, mas sempre respeitando o leitor, com responsabilidade, ética e, acima de tudo, aptidão pelo jornalismo de verdade”, disse César Santos, logo após a distribuição dos primeiros exemplares do jornal ao público presente.

Carlos Santos reafirmou o compromisso, garantindo que o JORNAL DE FATO não abriria mão de suas convicções, porque seria conduzido por jornalistas de uma geração que sonhou com um projeto diferente dos impressos que já existiam. Carlos ressaltou que o DE FATO não estava nascendo para eliminar os matutinos existentes, mas, sim, para somar o jornalismo potiguar com uma proposta inovadora.

A convicção dos jornalistas-fundadores estava certa. O JORNAL DE FATO trilhou o caminho traçado por eles, e hoje chega aos 18 anos praticando o bom jornalismo. O jornal cresceu, ganhou novo formato gráfico, novas editorias, novos cadernos, ampliou a circulação, o número de assinantes, mas sem abrir mão do compromisso único de fazer o Jornalismo de Verdade. “Essa proposta é inegociável. O JORNAL DE FATO assim continuará, praticando o jornalismo com responsabilidade e ética”, garante César Santos, que desde o segundo ano de fundação do jornal passou a conduzir a sua direção, com a saída de Carlos Santos para novos projetos pessoais.

E assim, hoje, Mossoró e o Rio Grande do Norte comemoram os 18 anos do JORNAL DE FATO.

 

PRÊMIOS NACIONAIS E REGIONAIS COMPROVAM O BOM JORNALISMO

Escrever é um exercício diário de sabedoria. Antes mesmo de o jornal chegar até a mão do leitor, uma maratona de descobertas e inquietações perpassa a consciência do repórter na sua árdua tarefa de informar, sendo capaz de catalisar as informações e contá-las com responsabilidade.

Algumas dessas notícias que enchem as páginas do jornal, no dia seguinte, ficam velhas - fadadas ao mero papel de embrulho. Já, outras, vencem a barreira do tempo e se tornam especiais. Com um olhar mais apurado, mais analítico e tratamento gráfico personalizado, as séries de reportagens e matérias especiais sempre foram uma preocupação do JORNAL DE FATO.

O sucesso dessas reportagens é comprovado pelos prêmios que a redação conquistou nesta trajetória de 15 anos.

Por duas vezes, a revista DOMINGO ficou entre as cinco melhores do País, como semifinalista no Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo, concorrendo com veículos de todo o Brasil, nos anos de 2004 e 2006, com matérias produzidas pela jornalista Janaína Holanda – hoje atuando nos quadros da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA).

Uma das reportagens premiadas pelo Grande Prêmio Ayrton Senna foi sobre o trabalho infantil doméstico. A revista DOMINGO contou histórias de crianças que cuidavam de casa enquanto os pais saiam para trabalhar. O resultado desse material jornalístico não apenas premiou a qualidade da redação do Jornal de Fato, mas contemplou a cidade de Mossoró com mais crianças atendidas pelo programa Acelera Brasil, do Instituto Ayrton Senna.

A revista trouxe ainda o Prêmio de Jornalismo José Martins de Vasconcelos, concedido pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN (2005); Prêmio Mão Amiga sobre Meio Ambiente, da ONG DNA (2007); e o Prêmio Fapern de Jornalismo Científico (2008), com reportagens produzidas pela jornalista Izaíra Thalita.

Em 2008, o caderno especial “Novas Energias”, editado pelo jornalista Esdras Marchezan, hoje professor da Uern e assessor de Gabinete do reitor Pedro Fernandes, recebeu os prêmios de jornalismo concedido pela Fiern e Petrobras. Em 2005, ele, juntamente com os repórteres Paulo Sérgio Freire, Edilson Damasceno e Janaína Holanda, foram destaque no Prêmio BNB de Jornalismo com uma reportagem que mostrou a agricultura familiar no Rio Grande do Norte.

As premiações do DE FATO comprovam o seu potencial no RN. Os profissionais do periódico também marcaram presença no Prêmio Dorian Jorge Freire de 2007, com o repórter e hoje editor-chefe Edilson Damasceno, e em 2008, com o jornalista Higo Lima.

FOTOJORNALISMO

O visual do JORNAL DE FATO é o seu grande diferencial. Para conseguir êxito nessa proposta, o periódico sempre contou com competentes repórteres fotográficos, vencedores de inúmeros prêmios de dimensão nacional.

Em 2009, o repórter-fotográfico Fred Veras foi o grande vencedor do Concurso Fotográfico Leica-Fotografe, um dos mais importantes do Brasil, com participantes do País e do exterior.

Em 2008, mais uma vez, Fred Veras venceu o Prêmio Fiern de Jornalismo e obteve a segunda colocação do prêmio de fotografia da Secretaria Nacional Antidrogas, da Presidência da República.

Naquele mesmo ano, o fotógrafo Marcos Garcia ficou na final do Prêmio Idema de Jornalismo e foi agraciado com o Prêmio Dorian Jorge Freire de Jornalismo e, também teve uma foto entre as 10 fotografias escolhidas na Maratona Cultural de Fotografia, promovida pela Secretaria Municipal de Cultura.

 

EDITORIAS FIDELIZAM O LEITOR DO JORNAL DE FATO

O JORNAL DE FATO teve papel importante no processo de transformação do jornalismo impresso de Mossoró. Com a sua linha editorial, que contempla todas as editorias e formato gráfico, o jornal acabou influenciando os demais impressos que existiam na cidade. Hoje, o DE FATO é o único impresso em circulação no Rio Grande do Norte com origem e sede no interior do Estado.

O ponto de partida, segundo o diretor-presidente César Santos, foi eliminar a ideia de que o fato policial deveria ser destacado diariamente, evitando a imagem policialesca do impresso. A editoria de Polícia, desde o primeiro número do JORNAL DE FATO, tem espaço de acordo com a importância da notícia, assim como as editorias de Política, Esporte, Comportamento, Cidades, Gerais, e assim sucessivamente.

No lançamento do jornal, no dia 28 de agosto de 2000, o jornalista Carlos Santos afirmou que o novo impresso não abriria mão da fidelidade com o leitor, preservando a credibilidade da informação. "Vamos fazer jornalismo de verdade", assegurou.

Jornalismo de Verdade, inclusive, é o slogan do JORNAL DE FATO nesse 18 anos. "Não vamos mudar, porque essa é a nossa missão principal", garante César Santos, sobre o papel do jornal.

O diretor-presidente afirma que o JORNAL DE FATO, logo no primeiro ano de circulação, decidiu que evitaria manchetes de capa que não levariam bom sentimento ao leitor, principalmente de notícias policiais graves, como suicídio, por exemplo. Segundo ele, a manchete policial sensacionalista chama a atenção do leitor flutuante, mas nunca agrada o leitor diário, o assinante. “Quem toma café da manhã olhando um jornal com sangue na capa?”, questiona.

Partindo desse princípio, o JORNAL DE FATO valoriza editorias como Comportamento, Saúde, Economia, Variedades. “O leitor está cada vez mais ávido por notícias de economia, porque essa área influencia diretamente na sua vida. As notícias de comportamento e saúde são tão interessantes quanto o fato político, por exemplo, já que atrai um segmento que costuma passar os olhos pela página de Política”, diz.

A variedade de notícias do JORNAL DE FATO pode ser comprovada nas editorias e cadernos criados para diferentes segmentos: Política, Esporte, Gerais, Estado, Cultural (Total), Mulher e a revista Domingo.

“O importante é que esses cadernos e a revista são preparados para atender a cada segmento, com notícias e informações que levam mais conhecimento ao leitor”, explica o editor-chefe Edilson Damasceno. “As edições são construídas a partir das reuniões de pauta, em que toda a redação se envolve para levar o melhor ao leitor”, destaca.

HISTÓRIAS CONTADAS NAS CAPAS DO JORNAL DE FATO

Nos 10 anos do JORNAL DE FATO, completados no dia 28 de agosto de 2010, uma edição especial retratava a história de uma década de circulação do impresso, mostrando os fatos, através da reprodução de capas que marcaram a vida das pessoas para sempre.

O trabalho de pesquisa por uma equipe de jornalistas da redação do jornal resgatou os principais acontecimentos na política, religião, comportamento, social, esporte, polícia, ciência, tecnologia, educação, entre outros.

Na política, o JORNAL DE FATO noticiou e registrou para a história, ao longo desses anos, mais de uma dezena de eleições municipais, estaduais e gerais. Fatos importantes, como a eleição das primeiras mulheres governadora e senadora do Rio Grande do Norte – Wilma de Faria, em 2002, e Rosalba Ciarlini, em 2006. Da primeira mulher presidente da República do Brasil – Dilma Rousseff, em 2010.

A eleição do primeiro presidente de origem política na luta dos trabalhadores, Luís Inácio Lula da Silva, também ganhou destaque no JORNAL DE FATO, em 2002; e depois em 2006, quando Lula conquistou a reeleição.

O JORNAL DE FATO registrou, em 18 anos de existência, a sucessão de dois papas – Bento XVI e Francisco, depois da morte do João Paulo II.

No esporte, o pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira em 2002 está nas páginas do jornal, assim como os títulos inéditos de campeão estadual de futebol conquistados pelos dois clubes de Mossoró – Potiguar (2004) e Baraúnas (2005).

A decisão do presidente Lula de transformar a Escola Superior de Agricultura de Mossoró (ESAM) em Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) está registrada nos arquivos do JORNAL DE FATO.

As páginas do JORNAL DE FATO registraram momentos difíceis, tristes, mas que marcaram a vida das pessoas, como a emboscada ao prefeito de Caraúbas, Agnaldo Pereira, em que ele morreu ao lado da primeira-dama Nieta e de três seguranças. A morte de Dr. Carneiro, o líder da tradicional família de Caraúbas, que se tornou famoso em todo o Nordeste, através das páginas policiais.

Muitos fatos relevantes em Mossoró, no Rio Grande do Norte, no Brasil e no mundo, todos contados com fidelidade à notícia nas páginas do JORNAL DE FATO.

A MELHOR CAPA NACIONAL – “DA VIDADE PARA A ETERNIDADE”

3 de abril de 2005.

O JORNAL DE FATO circula com edição especial para noticiar a morte do papa João Paulo II. A notícia que comoveu o mundo religioso também alterou o ritmo da redação do jornal, com toda a equipe envolvida na confecção de um caderno que contaria o fato e a vida do papa mais popular da Igreja Católica.

A capa da edição publicou a foto de João Paulo II, saindo da vida para a eternidade, com o título: “O adeus do Papa da Paz”.

No texto da capa, o De Fato destacou: o papa João Paulo II, que conduziu a Igreja Católica por mais de um quarto de século, morreu aos 84 anos. O pontífice faleceu depois de sofrer insuficiência cardíaca e renal. O papa esteve internado em um hospital por duas vezes nos dois últimos meses. Veja, nesta edição, tudo sobre os últimos momentos do papa, os procedimentos do Vaticano para a sucessão e a repercussão em Mossoró e no mundo.

Nas chamadas em segundo plano, a capa destacou: 1 – “O polonês que surpreendeu o mundo inteiro”; 2 – As viagens, as visitas ao Brasil e a história de todos os papas”; 3 – O perfil daqueles que têm mais chances de sucederem João Paulo II”.

O trabalho da equipe, supervisionada pelo então editor-chefe William Robson, com direção de diagramação e arte de Augusto Paiva, recebeu o reconhecimento da Associação Nacional de Jornais (ANJ), sendo escolhida para compor o livro “As melhores primeiras páginas dos jornais brasileiros”, organizado pela então presidente da entidade, jornalista Judith Brito, e pelo jornalista Ricardo Pedreira.

Brito e Pedreira destacaram o trabalho e a importância das primeiras capas bem elaboradas. Eles escreveram: “Compor o mosaico de melhores páginas de mais de 100 associados para este livro significa, de alguma forma, ratificar a importância dessa defesa do papel dos jornais e da liberdade de imprensa ao longo da história brasileira.”

E mais: “Cada empresa jornalística teve a difícil missão de escolher, entre tantas páginas importantes que integram suas trajetórias de tantas décadas – em certos casos, mais de um século –, aquela que considerasse a mais representativa. Alguns pinçaram episódios políticos de grande impacto no plano nacional ou na região de suas respectivas circulações; outros mostraram denúncias que resultaram em mudanças na administração pública. Outros, ainda, retratam fatos marcantes nos esportes, na economia e na vida cotidiana dos cidadãos eleitores. Houve, também, escolhas relacionadas à beleza e à competência do projeto gráfico.

E definiram: “Mas o que todas as primeiras páginas reunidas neste livro têm em comum é o correto exercício dos jornais como testemunhas da História, como meio de informação dos cidadãos. A ANJ tem orgulho do cenário montado neste livro com as primeiras páginas de importantes jornais brasileiros. É um espelho da nossa missão diante da sociedade brasileira: contribuir com o jornalismo para a permanente construção da cidade.”

NOTÍCIAS EM TODAS AS PLATAFORMAS

A notícia em tempo real, sem se afastar do noticiário impresso. Essa é a missão do portal defato.com, o site do JORNAL DE FATO na rede mundial de computadores. A convergência das mídias dentro de um padrão aprovado pelo leitor, a partir do Jornalismo de Verdade, que é slogan desde a fundação do matutino.

O defato.com está no ar há seis anos, com um formato leve, de leitura direta, fazendo convergir todas as plataformas que acabem produzindo a edição impressa do dia seguinte. “Os jornalistas já estão devidamente adaptados às novas ferramentas, porém sempre resguardando a qualidade da notícia”, afirma o jornalista Edilson Damasceno, editor-chefe do JORNAL DE FATO.

O site atualiza a notícia em tempo real, utilizando as mais variadas ferramentas, com textos, fotografias, imagem de vídeos e áudios. A implantação do defato.com foi uma necessidade para acompanhar a velocidade da notícia, a partir da explosão do jornalismo on-line.

“A nossa missão é permitir que o leitor receba no computador, tablet ou celular a notícia em tempo real, mas que seja convidado a acompanhar a cobertura completa na edição impressa do jornal”, explica o diretor-presidente do JORNAL DE FATO, jornalista César Santos.

Segundo César, a convergência das mídias deve ser feita com muito zelo, para que a verdade dos fatos não seja atropelada pela ansiedade. Quando o defato.com foi para o ar, em 2012, a redação tinha a pressa de colocar a notícia no ar, correndo o risco de perder detalhes importantes do fato. Foi preciso preparar a equipe para trabalhar essa fase, que era nova e que muitos não tinham o devido entendimento.

“O jornalista, por natureza, tem essa coisa do furo de reportagem, de chegar primeiro etc.. No jornalismo on-line, essa condição aflora de forma muito agressiva, por isso, é preciso inibir a ansiedade para que os fatos sejam noticiados de forma limpa e transparente”, comenta.

O defato.com é um site completo, com as plataformas modernas das notícias inseridas na página e amplamente repercutidas pelas redes sociais. “Trabalhamos o texto, imagem e áudios. A notícia chega ao conhecimento do leitor de forma ampla, completa”, afirma Damasceno. “Mas, sempre contornando de tal forma que chama o leitor para a edição impressa, em que é publicada a reportagem ainda mais completa, com detalhes que não foram divulgados no on-line.”

O site explora todas as editorias, com destaque para política, esporte, polícia, saúde, comportamento. Também conta com a parceria de agência de notícia que oferece toda a cobertura do noticiário nacional. “Os acontecimentos de Brasília, por exemplo, têm cobertura em tempo real, sem perder um lance”, destaca Damasceno.

SUCESSO

O sucesso do site não é por acaso. Ele acompanha a credibilidade do JORNAL DE FATO. Como se sabe, o jornalismo on-line, num ambiente em que a notícia é oferecida gratuitamente, faz que o leitor procure observar a credibilidade do veículo. “A marca do JORNAL DE FATO permite a confiança do leitor, por isso, o site foi aceito de imediato”, explica César Santos.

O jornalista ressalta que quando o produto é oferecido gratuitamente, o consumidor geralmente desconfia. Isso acontece também com a notícia. “Daí, a importância de um site de notícia ter por trás uma marca de sucesso, de credibilidade, como é o caso do defato.com”, diz.

E o sucesso do defato.com é confirmado pelos números de pesquisa. O site alcança em pouco tempo a marca de segundo mais acessado do Rio Grande do Norte, sendo superado apenas pelo portal de notícias do jornal Tribuna do Norte.

BLOG DO CÉSAR SANTOS

No portal defato.com existe o espaço para a publicação de várias colunas assinadas por jornalistas respeitados e de credibilidade confirmada em Mossoró e todo o Rio Grande do Norte.

O leitor tem acesso às colunas e blogs de várias jornalistas como Edinaldo Moreno (esporte), Chrystyan de Saboya (social), Marcos Dantas (política, Caicó), Dr. Ney Robson (saúde), Eduardo Colin (política, Brasília), O Câmera (polícia), Brito (charge), Comida, Diversão e Arte, Gol de Placa (esportes).

Mas um blog é exclusivo do defato.com. Trata-se do espaço on-line do jornalista César Santos, que assina uma coluna diária no impresso desde a sua fundação.

No “Blog do César Santos”, o leitor tem a oportunidade de receber em tempo real as notícias dos bastidores da política. Geralmente, são notas que revelam os fatos em primeira mão, devido à experiência e às bem informadas fontes que o jornalista tem.

“Procuro selecionar a notícia, levando em conta a importância de cada uma. Tem notícia que é preciso ir logo para o blog, e outras que deixo para a edição impressa”, revela César Santos. “No blog, o leitor tem a primazia da notícia imediata, por isso, seleciono bem o que deve ir logo ao ar”, explica.

Além das notas curtas e notícias em forma de reportagem, o Blog do César Santos também contempla o leitor com entrevistas na seção “Cafezinho com César Santos”. Políticos, empresários, autoridades, personalidades religiosas já tomaram o cafezinho e permitiram a produção de entrevistas importantes.

O Blog do César Santos é um dos mais acessados no Rio Grande do Norte. Ele entende que o prestígio do leitor se justifica pelo tempo de jornalismo que tem e pela marca de credibilidade, da qual não abre mão. “Temos 30 anos de jornalismo, dos quais, são 20 anos assinando coluna, o que transmite segurança e confiança ao leitor”, define.

 

O CÂMERA

O site “O Câmera”, criado em Mossoró para contemplar a notícia policial em tempo real, também está alojado no defato.com. É o espaço popular no qual o leitor pode encontrar as notícias do setor policial produzidas por especialistas da área.

O Câmera não perde nenhum lance policial. Está em cima da notícia, como se diz na gíria popular, graças ao trabalho obstinado do criador do site, Neto Marcelino. Ele conta com uma equipe bem preparada e de fontes que não deixam passar nenhum fato policial sem o seu conhecimento.

Os leitores procuram acessar O Câmera de forma permanente, o que garante um número de acesso bem acima dos outros sites de notícias policiais. Isso ocorre pela credibilidade do Câmera, construída através do trabalho sério de Marcelino e toda a sua equipe.

O DOMINGO É DO LEITOR

Um projeto inovador e pioneiro no jornalismo mossoroense e até no Rio Grande do Norte deu vida à revista Domingo. A proposta de um suplemento diferenciado, com conteúdo voltado aos principais acontecimentos da semana em reportagens elaboradas, estreou a edição em cores do JORNAL DE FATO no dia 2 de junho de 2002, no segundo ano do jornal.

Com a participação de especialistas, colaboradores convidados e histórias de vida das pessoas, a revista sempre traz enfoques criativos para assuntos abordados na semana.

Temas da História, Educação, Comportamento, Cultura, Saúde, Culinária, Literatura, Política e até Ciência são trabalhados de maneira a propor ao leitor a discussão com profundidade dos mais variados assuntos.

As reportagens da revista destacam o uso de imagens, ilustrações e de infográficos feitos especialmente para o conteúdo jornalístico e que dão leveza e beleza ao material, além de ajudarem a compreensão dos assuntos tratados de uma maneira diferenciada. Nestes oito anos, a revista ganhou leitores fiéis que colecionam o material e percebem o seu crescimento.

 

VARIEDADES

A revista DOMINGO teve como primeiras editoras as jornalistas Daiany Dantas e Afra Valle (2002). Na época, sob a supervisão do então editor-chefe William Robson.

Desde 2003, a editoria da revista e a produção das matérias passaram pelas mãos de jornalistas como Izaíra Talita, Sandra Monteiro, Higo Lima, Paulo Sérgio, Magnos Alves, Nara Andrade, entre outros.

A partir de reportagens publicadas na revista Domingo, Izaíra Thalita conquistou importantes prêmios para o JORNAL DE FATO: Prêmio de Jornalismo José Martins de Vasconcelos, concedido pela Uern (2005); Prêmio Mão Amiga sobre Meio Ambiente, da ONG DNA (2007); e Prêmio Fapern de Jornalismo Científico (2008).

Outra importante conquista se deu através de série de reportagens escritas pela jornalista Janaína Holanda abordando a infância e a educação, fazendo que, por duas vezes, a revista Domingo ficasse entre as cinco melhores do País como semifinalista no Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo, concorrendo com veículos de todo o Brasil nos anos de 2004 e 2006.

Todos esses prêmios mostram a responsabilidade de que a equipe que produz a revista Domingo é comprometida com o jornalismo de qualidade e pensa no melhor para seus leitores.

Tags:

JORNAL DE FATO
impresso
Mossoró
César Santos
aniversário
RN

voltar