Quinta-Feira, 14 de dezembro de 2017

Postado às 12h00 | 09 Out 2017 | Redação Programa de Telemedicina da Sesap alcança a marca de 860 mil diagnósticos no RN

Crédito da foto:

Desde a sua implantação, em 2010, o Programa de Telemedicina ralizou 515.758 mil exames através dos tele eletrocardiogramas de 12 derivações simultâneas e mais de 860 mil Diagnósticos em Cardiologia, o que representa um apoio efetivo na regionalização dos serviços de saúde no Rio Grande do Norte.

O Programa de Telemedicina da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), implantado em setembro de 2010, desenvolve assistência nas oito regiões de saúde na área de exames de Eletrocardiograma via telefonia fixa, móvel e Internet nas zonas rurais e urbanas das cidades do RN, onde estão localizadas as Unidades Básicas de Saúde - UBS, Unidades de Estratégia de Saúde da Família – UESF, Unidades de Pronto-atendimentos – UPAS’s e Hospitais estaduais, municipais e filantrópicos sob a gestão municipal conveniados ao Sistema Único de Saúde, através de 247 aparelhos eletrocardiógrafos de 12 derivações simultâneas, que ao longo do período realizaram exames através das demandas geradas nos atendimentos médicos (consultas), onde a enfermagem realiza os exames, transmite para a Central de Telemedicina (médicos especialistas) na cidade de São Paulo/SP e Uberlândia/MG.

A colaboradora contratada possibilita a realização dos exames que, decodifica o traçado transmitido, lauda e também fornece a segunda opinião médica, segunda opinião esta, que o médico especialista diante de alguma gravidade, como um Infarto em evolução, conversa com o médico generalista da UBS, UESF, UPA ou mesmo hospital, no sentido de orientá-lo para aplicação dos protocolos cardiológicos e encaminhamento do paciente para uma unidade de maior complexidade.

Os eletrocardiogramas transmitidos, retornam em até 15 minutos para urgência e até 30 minutos para o paciente eletivo com o laudo em arquivo .pdf - via aplicativo WEB - Plataforma Integrada de Telemedicina – PIT. O sistema faz a geração dos dados, emissão de relatórios e acompanhamento em tempo real da realização dos exames.

O Rio Grande do Norte foi o primeiro Estado do País a implantar, como política assistencial de saúde junto a sua RAS - Rede de Atenção à Saúde, de maneira apoiar a Regionalização dos serviços de saúde. “A Telemedicina representa um grande avanço na assistência a portadores de doenças crônicas como hipertenção e diabetes no Estado, contabilizando resultados positivos especialmente no que se refere aos pacientes usuários do Sistema Único de Saúde em nosso Estado”, explica Eduardo Albuquerque, coordenador do programa na Sesap.

O Programa de Telemedicina da SESAP-RN, foi aprovado e reconhecido pelo Ministério da Saúde, hoje é custeado através de Portaria ministerial, sendo hoje uma referência no serviço para o país.

“Como não é impossível ter um médico cardiologista em cada município do Estado, e o eletrocardiograma necessita de um especialista para interpretá-lo, o Programa de Telemedicina é um suporte importante para cobrir locais sem a presença desse profissional, dessa maneira é possível sim, ter médicos cardiologistas especialistas "Virtuais" em todos os municípios do RN, diagnosticando via laudos os eventos cardiológicos que chegam as diversas unidades de saúde em nosso Estado”, explica.

Eduardo explica que o programa funciona de forma simples. “Basta uma linha telefônica convencional ou aparelho celular para enviar o exame por meio de sinais sonoros a uma Central da Telemedicina – a Central decodifica a transmissão gravada em um banco de dados (prontuário eletrônico) imediatamente, a equipe médica de plantão analisa o eletrocardiograma enviado pelo médico”.

Tags:

Programa
Telemedicina

voltar