Terça-Feira, 18 de junho de 2019

Postado às 17h30 | 22 Mar 2018 | Redação Professores não aceitam proposta do governo e decidem pela greve

Crédito da foto: Divulgação/Sinte/RN/Arquivo A assembleia ocorre a partir das 14h30, na Escola Estadual Winston Churchill, em Natal

Os professores da rede estadual de ensino entraram em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (22) em assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (SINTE-RN), no pátio da escola Winston Churchill, em Natal.

Segundo a direção do Sinte-RN, a paralisação deve alcançar toda a rede estadual de ensino, que é formada por 610 escolas e mais de 15 mil professores.

Os professores estão reclamando a implantação do reajuste do piso nacional de salário dos magistério, de 6,81%, e que deveria valer a partir do dia 1º de janeiro deste ano. A pauta de reivindicação contém outros 50 itens sobre melhores condições de trabalho.

O Governo do Estado, via Secretaria de Educação, tentou impedir a paralisação, chegando a apresentar quatro propostas, com parcelamento do reajuste salarial, mas não foram satisfatórias, segundo avaliação da categoria.

A primeira proposta apresentada pelo governo oferecia o reajuste dividido em cinco parcelas, que seriam pagas entre julho e novembro deste ano.

Em seguida, o governo sugeriu pagar o reajuste parcelado entre abril e setembro para ativos e inativos. A terceira oferta foi pagar 3% em junho e 3,81% em setembro para ativos e inativos. E última proposta, também recusada, foi o pagamento de 3% em junho para ativos e inativos. No mês seguinte sairia o pagamento de 3,8% para os servidores da ativa e o mesmo percentual sairia em setembro para os inativos.

A última proposta prevê pagamento integral para os professores na ativa em abril e parcelado em cinco vezes para os inativos, com pagamentos entre abril e setembro.

 

Tags:

Sinte/RN
trabalhadores em educação
greve
tempo indeterminado
propostas

voltar