avançou contra uma ciclovia, matando oito pessoas e deixou vários feridos, antes de ser detido. O caso está sendo tratado como terrorismo e o FBI se juntou à polícia de Nova York na investigação.

"Em Nova York, parece ter um outro ataque de uma pessoa muito doente e perturbada. A polícia está acompanhando de perto. Não nos EUA", escreveu o presidente no Twitter.

Em outro tuíte, o presidente sugeriu que o autor do ataque seria ligado ao Estado Islâmico. "Não podemos permitir que o EI retorne, ou entre, em nosso país após derrotá-lo no Oriente Médio e em todos os lugares.

LEIA MAIS:

 Local do ataque abriga memorial do 11 de Setembro e centro financeiro de Nova York

Vídeo mostra suposto atropelador de Manhattan correndo com armas

Atropelador de Manhattan gritou 'Deus é grande', dizem testemunhas

Testemunhas relataram que a caminhonete avançou por até 20 quadras no sentido contrário da ciclovia adjacente à West Side Highway, na região de Battery Park (zona sul da ilha), ferindo ciclistas e pessoas que passavam no local. De acordo com a polícia, o suspeito saiu gritando 'Deus é grande' em árabe e exibiu duas armas falsas antes de ser baleado na perna e preso. O veículo aparentemente pertencia a uma loja de produtos residenciais.

A primeira-dama, Melania Trump, também se manifestou no Twitter. Ela disse que estava com o coração partido e pediu orações para as vítimas.

 

DEUS É GRANDE

O autor do atropelamento em Manhattan, que deixou oito mortos e nove feridos, gritou "Deus é grande", contaram testemunhas à imprensa local. A polícia deteve um suspeito. A investigação sobre a motivação está em andamento, e estaria sendo tratada pelo FBI como terrorismo, de acordo com TVs locais.

Sayfullo Habibullaevic Saipov, de 29 anos, é o autor, segundo a imprensa.

O cantor Josh Groban foi uma das testemunhas do atropelamento. Groban contou no Twitter que estava andando com seu cachorro quando ouviu tiros.

"Meu Deus, acabei de ouvir tiros e corri com meu cachorro", Groban tuitou.

Uma outra testemunha, identificada como Eugene, contou à ABC que viu uma caminhonete indo velozmente contra a ciclovia, atropelando diversas pessoas. Eugene também relatou ter ouvido cerca de nove ou dez tiros.

Ezequiel Gonzalez, de 18 anos, estava na escola próxima ao local do atropelamento e contou ao "Daily Mail" o que observou:

— Vi ambulâncias chegarem e a escola proibiu todos de entrarem e saírem.

Já John Williams, de 22 anos, disse ao "Daily Mail" que 30 segundos após ouvir tiros, viu um homem caído no chão e outro sendo preso.

— Eu sai e vi um homem segurando duas armas. Eu podia sentir o cheiro de pólvora. Eu me preocupei com a segurança de todos — contou Williams.

Outras testemunhas também descreveram uma cena de terror:

"Jesus! Um carro acabou de atropelar duas pessoas e depois atingiu um ônibus escolar. Vejo dois corpos e bicicletas destruídas no chão", escreveu um usuário do Twitter.

">


Domingo, 19 de novembro de 2017

Postado às 21h15 | 31 Out 2017 | Redação Trump chama autor de atentado em Nova York de "doente e perturbado"

Crédito da foto: Arquivo "Em Nova York, parece ter um outro ataque de uma pessoa muito doente e perturbada. A polícia está ac

O presidente dos EUA, Donald Trump, chamou o autor do ataque desta terça-feira em Manhattan de "doente e perturbado". O suspeito, com armas falsas, avançou contra uma ciclovia, matando oito pessoas e deixou vários feridos, antes de ser detido. O caso está sendo tratado como terrorismo e o FBI se juntou à polícia de Nova York na investigação.

"Em Nova York, parece ter um outro ataque de uma pessoa muito doente e perturbada. A polícia está acompanhando de perto. Não nos EUA", escreveu o presidente no Twitter.

Em outro tuíte, o presidente sugeriu que o autor do ataque seria ligado ao Estado Islâmico. "Não podemos permitir que o EI retorne, ou entre, em nosso país após derrotá-lo no Oriente Médio e em todos os lugares.

LEIA MAIS:

 Local do ataque abriga memorial do 11 de Setembro e centro financeiro de Nova York

Vídeo mostra suposto atropelador de Manhattan correndo com armas

Atropelador de Manhattan gritou 'Deus é grande', dizem testemunhas

Testemunhas relataram que a caminhonete avançou por até 20 quadras no sentido contrário da ciclovia adjacente à West Side Highway, na região de Battery Park (zona sul da ilha), ferindo ciclistas e pessoas que passavam no local. De acordo com a polícia, o suspeito saiu gritando 'Deus é grande' em árabe e exibiu duas armas falsas antes de ser baleado na perna e preso. O veículo aparentemente pertencia a uma loja de produtos residenciais.

A primeira-dama, Melania Trump, também se manifestou no Twitter. Ela disse que estava com o coração partido e pediu orações para as vítimas.

 

DEUS É GRANDE

O autor do atropelamento em Manhattan, que deixou oito mortos e nove feridos, gritou "Deus é grande", contaram testemunhas à imprensa local. A polícia deteve um suspeito. A investigação sobre a motivação está em andamento, e estaria sendo tratada pelo FBI como terrorismo, de acordo com TVs locais.

Sayfullo Habibullaevic Saipov, de 29 anos, é o autor, segundo a imprensa.

O cantor Josh Groban foi uma das testemunhas do atropelamento. Groban contou no Twitter que estava andando com seu cachorro quando ouviu tiros.

"Meu Deus, acabei de ouvir tiros e corri com meu cachorro", Groban tuitou.

Uma outra testemunha, identificada como Eugene, contou à ABC que viu uma caminhonete indo velozmente contra a ciclovia, atropelando diversas pessoas. Eugene também relatou ter ouvido cerca de nove ou dez tiros.

Ezequiel Gonzalez, de 18 anos, estava na escola próxima ao local do atropelamento e contou ao "Daily Mail" o que observou:

— Vi ambulâncias chegarem e a escola proibiu todos de entrarem e saírem.

Já John Williams, de 22 anos, disse ao "Daily Mail" que 30 segundos após ouvir tiros, viu um homem caído no chão e outro sendo preso.

— Eu sai e vi um homem segurando duas armas. Eu podia sentir o cheiro de pólvora. Eu me preocupei com a segurança de todos — contou Williams.

Outras testemunhas também descreveram uma cena de terror:

"Jesus! Um carro acabou de atropelar duas pessoas e depois atingiu um ônibus escolar. Vejo dois corpos e bicicletas destruídas no chão", escreveu um usuário do Twitter.

Tags:

Atentado
Manhattan
Donald Trump
terrorismo
mortes
EUA

voltar