Sábado, 23 de setembro de 2017

Postado às 11h00 | 17 Jul 2017 | Edinaldo Rua no bairro Costa e Silva passa a ser vigiada eletronicamente por vizinhos

Crédito da foto: Marcos Garcia Moradores começaram a instalar placas informando sobre a medida na rua

Edinaldo Moreno/Da redação

Preocupados com violência que assola o município, moradores da Rua Rosineide Alves de Medeiros, no bairro Costa e Silva, começaram a instalar placas da iniciativa “Vizinhança Solidária”, onde a rua é vigiada eletronicamente pelos vizinhos.

Rubens Firmino, um dos idealizadores do movimento, conversou com a reportagem sobre a medida. Ele disse que a iniciativa já apresenta alguns resultados satisfatórios. “Já conseguimos evitar alguns assaltos”, lembra o morador que diz que se mudou para o bairro onde é sócio de um buffet no local.

“Eu sempre morei e em bairro agitado como Barrocas, Paredões, Abolição. Quando nós passamos para cá foi totalmente diferente. Como eu sempre tive muito contato com os vizinhos onde morei estranhei essa situação. Foi aí que resolvi fazer um grupo de whatsapp em outubro do ano passado com os vizinhos. Começamos com poucos e agora já temos 156 pessoas no grupo”, falou Rubens.

O morador diz que qualquer atitude suspeita na localidade é posta no grupo. “Hoje o nosso grupo funciona muito. Qualquer atitude suspeita na rua nós colocamos no grupo. Já evitamos várias situações. Pegaram um carro suspeito. Muitos integrantes do grupo postam no grupo que estão sozinhos para alertar os demais. Já teve situação de um vizinho pedir socorro quando invadiram sua residência”, explicou.

Rubens ainda enfatiza que o projeto poderá contar com câmeras de segurança integradas com a Polícia Militar. O projeto já está sendo discutido. “A Polícia Militar é uma grande parceira da gente aqui. Conseguimos uma parceira com o Major Humberto, que é uma pessoa que abraçou a causa e está nos auxiliando. Poderemos adorar uma viatura e também já pensamos em instalar câmeras de segurança integradas com a PM. Assim, os policiais também farão o monitoramento da base. Nós já temos as câmeras de segurança de nossas casas e pretendemos colocar essas ao longo da rua”.

Rubens Firmino disse ainda que a iniciativa tem o apoio de todos na localidade. “Crianças e idosos abraçaram a causa”, diz o morador.

O especialista em gestão de política de segurança pública, Ivênio Hermes, diz que a iniciativa dos moradores é louvável, mas aponta a decadência do Estado em promover a segurança desejada.

“A iniciativa dos moradores é louvável, mas aponta uma decadência do Estado em promover a segurança que desejamos. Acredito que diante da ausência do Estado em prover a segurança, as pessoas começam a trabalhar com recursos próprios colocando cercas elétricas, alarmes, sensores de movimento, entre outros objetos de segurança. Assim, eles (moradores) se isolam”, afirmou Hermes.

Segundo Ivênio, esse projeto foi um dos selecionados na Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no município no biênio 2013/2014 e que o Major Humberto levou a ideia para os moradores do bairro e eles resolveram adotar.

Tags:

voltar