Sábado, 19 de agosto de 2017

Postado às 10h00 | 12 Ago 2017 | Redação Terceirizada demite 55 trabalhadores do Tarcísio Maia e Rafael Fernandes, informa Sindsaúde

As demissões envolvem trabalhadores da terceirizada remanejados do antigo Hospital da Mulher, fechado em 2016. Destes, algo em torno de 40 são do HRTM e 15 do Rafael Fernandes. O Sindicato repudia a demissão em massa dos trabalhadores terceirizados

Crédito da foto: Arquivo/De Fato Segundo o Sindsaúde, são 40 demitidos no Tarcísio Maia e 15 no Rafael Fernandes

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sindsaúde), regional de Mossoró, informa por meu de sua página na internet, que 55 servidores terceirizados da JMT foram demitidos nesta semana.

Segundo o órgão, os cargos dispensados estão localizados, sobretudo, no Hospital Regional Tarcísio Maia e o Hospital Rafael Fernandes. As demissões envolvem trabalhadores da terceirizada remanejados do antigo Hospital da Mulher, fechado em 2016. Destes, algo em torno de 40 são do HRTM e 15 do Rafael Fernandes.

“Nós ficamos sabendo ontem (sexta-feira) da demissão desses servidores. Todos estão de aviso prévio”, disse o diretor regional do Sindsaúde em Mossoró, João Morais. Ele acrescenta que o corte atingiu maqueiros, setor da higienização, da copa e lavanderia e que sobrecarregará o trabalho dos demais servidores.

“Nós sabemos que o Tarcísio Maia precisa é contratar gente e não demitir. Essas demissões, que atingiu maqueiros, o pessoal da higienização, da copa e da lavanderia vai sobrecarregar os demais servidores que vão ficar. Se não contratar vai virar um caos. Eu desconfio que não vai haver a reposição destas vagas nos hospitais afetados”, ressalta Morais.

O Sindsaúde explica que os desligamentos destes trabalhadores tende a aprofundar o caos no Sistema Único de Saúde em Mossoró e região e acrescenta que o episódio “demonstra a fragilidade das relações terceirizadas de trabalho, nas quais a trabalhadora e o trabalhador estão propensos a perder seus empregos repentinamente e por motivos injustos”.

João Morais informou ainda que nesta semana o sindicato tentará marcar uma audiência com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) para tentar reverter as demissões dos terceirizados ou se as vagas serão repostas.

“Nós vamos procurar o secretário (George Antunes) para saber se haverá contratação de novos servidores ou que possamos reverter essa situação e que esses servidores possam retornar ao trabalho. Mas acho muito difícil de acontecer”, frisou.

O Sindicato informa ainda que repudia a demissão em massa dos trabalhadores terceirizados da saúde nos hospitais públicos do estado.

“Neste sentido, repudiamos a demissão em massa de terceirizados da saúde nos hospitais públicos do RN. As trabalhadoras e trabalhadores precisam se unir e lutar por nenhum emprego a menos. Os hospitais já estão no limite, e demitir terceirizados da saúde neste momento de calamidade pública só vai alimentar o caos nos hospitais e a sobrecarga de trabalho. Resistir contra as demissões dos terceirizados é lutar em defesa do emprego e em defesa do Sistema Único de Saúde”, diz a nota.

Tags:

Hospital Tarcísio Maia; Rafael Fernandes; Sindsaúde; Mossoró; terceirizados JMT

voltar