magnos.alves@gmail.com

Aguardada há vários anos, a obra de construção do Hospital Regional da Mulher, em Mossoró, deve ser iniciada ainda neste ano. A previsão é do secretário de estado da Saúde Pública, George Antunes. Em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (9) em Mossoró, o secretário informou que o resultado da licitação para a construção do hospital foi homologado na quarta-feira (8) e que a empresa vencedora terá prazo de 30 dias para iniciar os serviços após a assinatura do contrato, prevista para o final deste mês. “As obras têm previsão de conclusão até o final de 2018. Pode ter um atraso ou outro, mas a previsão contratual é que no final de 2018 esse hospital possa estar concluído”, afirmou George Antunes.

A Secretaria Extraordinária de Gestão de Projetos e Metas de Governo (SEGEPRO), gestora do projeto Governo Cidadão, informou que a homologação do vencedor da licitação ainda não aconteceu. Apenas o resultado com a empresa vencedora foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

A empresa vencedora do certame foi a CG Construções Ltda., de Fortaleza (CE), com o valor proposto de R$ 53.931.634,38.

A reportagem do JORNAL DE FATO manteve contato com a CG Construções Ltda. para saber se existia previsão para assinatura do contrato e início da obra, mas “Dr. Fernando”, apontado como diretor da empresa, declarou que não tinha nada para informar.

Ate o fechamento desta edição, a Segepro e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESAP) não souberam informar a data prevista para a assinatura do contrato.

O Hospital Regional da Mulher tem previsão de receber investimento da ordem de R$ 104 milhões, incluindo construção e equipamentos.

Os recursos são do Banco Mundial, através do projeto Governo Cidadão, antigo RN Sustentável. A unidade terá 118 leitos e será referência na assistência materno-infantil para as regiões de Saúde: de Mossoró, Pau dos Ferros e Assú.

Segundo a Sesap, o hospital ainda contemplará leitos de observação do pronto-socorro, de internação, de terapia intensiva e de cuidados intermediários, além de salas de parto humanizado e de cirurgias de obstetrícia, eletivas, Banco de Leite Humano, Casa da Gestante e o Centro de Parto Normal.

O terreno onde será erguido o hospital foi cedido pela Universidade do Estado do Rio Grande de Norte (UERN) e possui uma área de 36 mil metros quadrados. O hospital funcionará também como campo de estágio em parceria com a Uern nas áreas da saúde e afins.

 

Governo promete cumprir acordo judicial para instalação de novos leitos de UTI no HRTM

George Antunes assegurou que o Governo do Estado vai cumprir acordo para instalação de 21 novos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), conforme acordo feito com a Justiça Federal do Rio Grande do Norte (JFRN). O prazo encerra no final de março. O secretário informou que até 4 de dezembro será assinado contrato para a reforma do HRTM. “Vamos implantar 20 leitos na UTI nova e mais um com 20 leitos e mais 1 numa UTI que tem 9 leitos. Se houver atraso para abril ou maio, são coisas que acontecem quando se inicia obras, mas nós vamos cumprir, sim”, assegurou George Antunes.

Dentro dos vários acordos judiciais, o Governo do Estado contratou 10 novos leitos de UTI no Hospital Wilson Rosado e ainda tem outro a cumprir até o final de 2018 para instalação de outros 21 leitos de UTI no Hospital Regional da Mulher.

 

Governo não vai substituir diretor do HRTM

Mesmo com o pedido de exoneração, o Governo do Estado não pretende substituir o diretor do HRTM, Jarbas Mariano. O cargo foi entregue há quase quatro meses, em julho, e desde então o atual diretor aguarda a nomeação do seu substituto. Mas, no que depender do Governo, ele vai continuar à frente do maior hospital público do interior do estado. George Antunes disse que fez um apelo a Jarbas Mariano para que ele continue no cargo. “Eu fiz um apelo hoje pela manhã e acho que deveriam reforçar esse apelo para que Jarbas (Mariano) não saia do hospital, pois dificilmente vamos encontrar nome à altura. Nós não temos intenção de substituí-lo”, declarou.

Sobre o corte dos telefones do HRTM, o secretário disse que o problema é em toda a Rede Estadual de Saúde e informou que está negociando com a empresa, pagando algumas parcelas atrasadas, mas não fez previsão para religamento dos telefones.

">


Domingo, 19 de novembro de 2017

Postado às 13h00 | 10 Nov 2017 | Redação Empresa cearense ganha licitação para construir o Hospital Regional da Mulher

Crédito da foto: Marcos Garcia/JORNAL DE FATO Secretário George Antunes apresentou nome da empresa CG Construções em entrevista coletiva

MAGNOS ALVES - JORNAL DE FATO

magnos.alves@gmail.com

Aguardada há vários anos, a obra de construção do Hospital Regional da Mulher, em Mossoró, deve ser iniciada ainda neste ano. A previsão é do secretário de estado da Saúde Pública, George Antunes. Em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (9) em Mossoró, o secretário informou que o resultado da licitação para a construção do hospital foi homologado na quarta-feira (8) e que a empresa vencedora terá prazo de 30 dias para iniciar os serviços após a assinatura do contrato, prevista para o final deste mês. “As obras têm previsão de conclusão até o final de 2018. Pode ter um atraso ou outro, mas a previsão contratual é que no final de 2018 esse hospital possa estar concluído”, afirmou George Antunes.

A Secretaria Extraordinária de Gestão de Projetos e Metas de Governo (SEGEPRO), gestora do projeto Governo Cidadão, informou que a homologação do vencedor da licitação ainda não aconteceu. Apenas o resultado com a empresa vencedora foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

A empresa vencedora do certame foi a CG Construções Ltda., de Fortaleza (CE), com o valor proposto de R$ 53.931.634,38.

A reportagem do JORNAL DE FATO manteve contato com a CG Construções Ltda. para saber se existia previsão para assinatura do contrato e início da obra, mas “Dr. Fernando”, apontado como diretor da empresa, declarou que não tinha nada para informar.

Ate o fechamento desta edição, a Segepro e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (SESAP) não souberam informar a data prevista para a assinatura do contrato.

O Hospital Regional da Mulher tem previsão de receber investimento da ordem de R$ 104 milhões, incluindo construção e equipamentos.

Os recursos são do Banco Mundial, através do projeto Governo Cidadão, antigo RN Sustentável. A unidade terá 118 leitos e será referência na assistência materno-infantil para as regiões de Saúde: de Mossoró, Pau dos Ferros e Assú.

Segundo a Sesap, o hospital ainda contemplará leitos de observação do pronto-socorro, de internação, de terapia intensiva e de cuidados intermediários, além de salas de parto humanizado e de cirurgias de obstetrícia, eletivas, Banco de Leite Humano, Casa da Gestante e o Centro de Parto Normal.

O terreno onde será erguido o hospital foi cedido pela Universidade do Estado do Rio Grande de Norte (UERN) e possui uma área de 36 mil metros quadrados. O hospital funcionará também como campo de estágio em parceria com a Uern nas áreas da saúde e afins.

 

Governo promete cumprir acordo judicial para instalação de novos leitos de UTI no HRTM

George Antunes assegurou que o Governo do Estado vai cumprir acordo para instalação de 21 novos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), conforme acordo feito com a Justiça Federal do Rio Grande do Norte (JFRN). O prazo encerra no final de março. O secretário informou que até 4 de dezembro será assinado contrato para a reforma do HRTM. “Vamos implantar 20 leitos na UTI nova e mais um com 20 leitos e mais 1 numa UTI que tem 9 leitos. Se houver atraso para abril ou maio, são coisas que acontecem quando se inicia obras, mas nós vamos cumprir, sim”, assegurou George Antunes.

Dentro dos vários acordos judiciais, o Governo do Estado contratou 10 novos leitos de UTI no Hospital Wilson Rosado e ainda tem outro a cumprir até o final de 2018 para instalação de outros 21 leitos de UTI no Hospital Regional da Mulher.

 

Governo não vai substituir diretor do HRTM

Mesmo com o pedido de exoneração, o Governo do Estado não pretende substituir o diretor do HRTM, Jarbas Mariano. O cargo foi entregue há quase quatro meses, em julho, e desde então o atual diretor aguarda a nomeação do seu substituto. Mas, no que depender do Governo, ele vai continuar à frente do maior hospital público do interior do estado. George Antunes disse que fez um apelo a Jarbas Mariano para que ele continue no cargo. “Eu fiz um apelo hoje pela manhã e acho que deveriam reforçar esse apelo para que Jarbas (Mariano) não saia do hospital, pois dificilmente vamos encontrar nome à altura. Nós não temos intenção de substituí-lo”, declarou.

Sobre o corte dos telefones do HRTM, o secretário disse que o problema é em toda a Rede Estadual de Saúde e informou que está negociando com a empresa, pagando algumas parcelas atrasadas, mas não fez previsão para religamento dos telefones.

Tags:

Hospital da Mulher
Mossoró
construção
licitação
saúde
RN
George Antunes
obra

voltar