Sábado, 18 de novembro de 2017

Postado às 12h15 | 10 Nov 2017 | Redação Entidades promovem ato público contra reformas de Temer e atraso salarial no RN

Crédito da foto: Marcos Garcia O ato teve início no Arte da Terra e foi encerrado em frente a Caixa Econômica, no Centro

Diversas categoria da segurança, educação, saúde e Centrais Sindicais promoveram um ato público na manhã desta sexta-feira, 10, contra as reformas do Governo Temer e o atraso no pagamento dos servidores estaduais do Governo do Rio Grande do Norte.

O movimento é intitulado como Dia Nacional de Lutas, Mobilização e Paralisações teve início no Arte da Terra, na ponte de acesso ao Centro. O encerramento do ato ocorreu em frente a Caixa Econômica Federal com discursos de vários representantes de centrais sindicais que participaram da manifestação.

Categorias do serviço público potiguar estiveram presentes na manifestação. Todos analisaram o protesto como positivo e exigem que o governador Robinson Faria pague em dia o funcionalismo.

“Estamos satisfeitos com esse movimento. Avaliamos como positivo a luta dos servidores pelo pagamento do salário em dia. A categoria está indignada com o tratamento dado pelo Governo do Estado. Por isso, acho importante o servidor na rua protestando contra esse desmando que vem ocorrendo no estado nos últimos meses”, analisou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Saúde Pública (Sindsaúde/Mossoró), João Morais.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do RN (Sinte/RN), Rômulo Arnaud, protesta contra s últimos ataques aos servidores públicos pelo governo Robinson Faria e as retiradas de direitos do presidente Michel Temer. “Esse Dia Nacional de Luta é um processo de construção da greve nacional”, disse.

Já o presidente do Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior (Sintest), Allyson Bezerra, afirma que a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) perdeu cerca de 40% de recursos de custeio. A redução tem sido prejudicial para a instituição.

“Nós estamos aqui para dar apoio a todos os servidores dessas categorias que estão aqui nesse dia de luta. A Ufersa perdeu cerca 40% dos recursos de custeio o que tem sido prejudicial para a nossa instituição. Bolsas de Pesquisa e Pós graduação terminaram e o Centro de Engenharia, que deveria ter sido entregue em 2015, agora, tem previsão de ser finalizado no final de 2019. Isso são alguns dos exemplos dos desinvestimentos que estamos tendo”.

Quem também esteve presente ao Dia Nacional de Luta foi o Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte (Sindipetro). O diretor sindical, Pedro Lúcio, disse que a categoria se junta aos demais trabalhadores contra as medidas do Governo Temer.

“Nós fizemos uma reunião também nesta manhã com os petroleiros informando a eles pontos da Reforma Trabalhista, que entra em vigor neste sábado. Somos contra essas reformas que tiram direitos dos trabalhadores. Estamos lutando contra isso e o sucateamento da Petrobras por esse governo”.

UERN entra em greve nesta sexta; Saúde será na segunda (13)

O ato marcou também o início da greve por tempo indeterminado dos docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).Eles pedem o pagamento de salários em dia e a criação de um cronograma de pagamento dos servidores estaduais. Também consta na pauta de reivindicações o retorno do plano de saúde que foi cortado pela Unimed, devido o atraso no pagamento.

Já na segunda-feira, 13, os servidores estaduais da Saúde vão entram em greve por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Pública, regional de Mossoró, (Sindsaúde/Mossoró) um ato público será realizado em frente ao Hospital Regional Tarcísio Maia.

Outra categoria que comunicou o início da greve para a próxima segunda-feira, 13, foi a dos médicos do RN, que também estão inconformados com os constantes atrasos salariais por parte do Governo do Estado. Com a paralisação tanto dos médicos quanto dos profissionais da saúde, hospitais como o HRTM e o Rafael Fernandes, em Mossoró, terão o funcionamento comprometido.

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) tinham anunciado que também iniciariam a greve por tempo indeterminado nesta sexta-feira, 10. Mas, após assembleia realizada na manhã desta quinta-feira, 9, os servidores decidiram suspender temporariamente a paralisação.

Tags:

Centrais sindicais
atraso salarial
Robinson Faria
Michel Temer
Caixa Econômica Federal
Coronel Gurgel
Arte da Terra

voltar