Terça-Feira, 18 de junho de 2019

Postado às 08h15 | 24 Jan 2018 | Redação Juíza anula decisão de exoneração dos servidores da Uern; reitor vai cumprir

Crédito da foto: Arquivo Com a anulação da decisão, os 86 servidores exonerados deverão retomar suas atividades

Amina Costa/DE FATO

No final da tarde desta terça-feira (23), foi deferido o pedido enviado pelo Sindicato dos Técnicos Administrativos da Uern (SINTAUERN) de anulação da decisão do Supremo Tribunal Federal, que determinou a exoneração de 86 servidores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). A decisão foi da juíza Kátia Cristina Guedes Dias.

No pedido, o Sintauern alegou que a Uern reincidiu os vínculos com os servidores efetivados por meio da lei 6.697/94, sem instaurar o devido processo administrativo individual. Essa atitude viola os princípios constitucionais.

“Noticiam os autos que a ausência de prévio processo administrativo impediu a explicitação pelos interessados de eventual produção de prova da regularidade do vínculo e aplicação de distringuinshing entre o caso concreto e o processo objeto”, informou a sentença.

De acordo com os documentos apresentados pelo sindicato, a Uern não observou o que dispõe a LC 303/2005 quanto ao processo administrativo no âmbito da administração pública estadual. Apenas publicou a portaria 0107/2018-GP/Fuern, reincidindo o vínculo dos 86 servidores.

“Caberia à Uern identificar, caso a caso, as hipóteses que se ajustavam à modulação realizada pelo Supremo Tribunal Federal na ADI 1.241 e dar-lhe aplicabilidade com o devido processo administrativo destinado exclusivamente à decisão judicial, entretanto tal conduta não restou demonstrada nos autos. Desse modo, como forma de preservar e garantir o direito ao contraditório e ampla defesa, entendo que o pleito antecipatório em que se busca a instauração do processo administrativo prévio e adequado é razoável e deve ser deferido”, explicava a sentença.

A reportagem do JORNAL DE FATO entrou em contato com a assessoria de imprensa da Uern, que informou que a decisão será cumprida. A portaria contendo a exoneração dos 86 servidores da Uern foi publicada na semana passada, após a decisão do STF que determinava o desligamento imediato desses funcionários.

Muitos dos funcionários exonerados na semana passada tinham quase 30 anos de serviços prestados à universidade e estavam bem próximos de ter a aposentadoria. Com o pedido de anulação deferido, alguns terão a chance de conseguir a aposentadoria pelo tempo de serviço prestado.

Tags:

UERN
servidores
exonerados
TJRN
decisão

voltar