Domingo, 21 de outubro de 2018

Postado às 10h45 | 13 Mai 2018 | Redação Cresce o número de mulheres que criam os filhos de forma independente

Crédito da foto: Ilustração Mãe e filha

Carreira, vida pessoal, maternidade... as mulheres têm, cada vez mais, provado que, apesar de não ser uma tarefa fácil, é possível conciliar todos os aspectos da vida. Muitas delas ainda têm, seja por opção pessoal ou por um afastamento paterno, mostrado que também é possível, além de conciliar, fazer isso sem a presença do pai.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 10 anos, o Brasil ganhou 1,1 milhão de famílias compostas por mães e filhos, que somam 11,6 milhões famílias deste formato. Diante da realidade já constituída de que a sociedade conta com outros modelos de família, as mães que criam seus filhos de forma independente, enfrentam muitos desafios que são contornados com muito amor e responsabilidade.

Segundo a psicóloga do Hapvida Saúde, Patrícia Guimarães, é possível criar os filhos sem a presença do pai, mas a mulher não precisa estar solitária nesta tarefa. “A importância dos vínculos afetivos que a criança cria não apenas com a mãe, mas também com o pai e outras pessoas que estão no seu convívio, constitui a construção biopsicossocial e da personalidade, papel no qual as mães não precisam estar solitárias”, salienta.

Conforme Patrícia, o grupo de pessoas que rodeia a criança contribui para originar sua identidade. É importante que a criança construa vínculos afetivos com pessoas que podem ser um membro da família - um tio, um irmão, o avô – ou alguém que não está na família, como um amigo. “O importante é que a criança possa construir um sentimento sincero e afetivo”, afirma a psicóloga.

É esse conjunto de pessoas que estão próximas da criança que dá suporte para ajudar ela a ter um conhecimento e adquirir sentimentos de confiança, capacidade afetiva, física, cognitiva, ética, estética de inter-relação pessoal e a compreensão da cidadania. Para as mães que assumem este papel, é importante também, em meio às múltiplas tarefas, encontrar tempo para ter uma vida pessoal, e não deixar de encontrar e conviver com os amigos, além de fazer atividades que sejam exclusivamente para si.

Tags:

Mulher
mãe
filhos
independente
criação
educação

voltar