As ordens de prisão de Joesley e Saud foram encaminhadas para a PF neste sábado (9) e a polícia afirmou que não cumpriu os mandados porque estava "em planejamento operacional" quando os dois manifestaram, por meio de seus advogados, a intenção de se entregar.

Joesley deixou a casa do pai no Jardim Europa às 13h39, na Zona Sul de São Paulo, rumo à Polícia Federal, e Saud, seu apartamento no Morumbi, também na Zona Sul. Na sede da superintendência da PF, manifestantes soltaram fogos de artifício para comemorar as prisões.

Os dois devem passar a noite na PF em São Paulo e serem transferidos para Brasília nesta segunda-feira (11). As prisões são temporárias, com prazo de cinco dias, e podem ser revertidas para preventivas. Em um áudio, Joesley e Saud chegaram a dizer que não seriam presos.

Após pedido da defesa, o Supremo Tribunal Federal abriu uma exceção e determinou que o exame de corpo de delito dos presos seja realizado somente nesta segunda-feira (11) em Brasília. O memorando foi enviado ao setor de custódia da Polícia Federal em São Paulo no início da noite deste domingo (10).

Na prática, o memorando permite que a PF mantenha Joesley e Saud presos mesmo sem a realização do exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal). Por volta das 18h50, os dois já estavam nas celas onde passarão a noite, no terceiro andar do prédio da PF na Lapa, na Zona Oeste. Joesley e Saud estão em celas separadas.

Cronologia da prisão:

Leia mais AQUI no G1 – São Paulo

">


Sábado, 18 de novembro de 2017

Postado às 21h45 | 10 Set 2017 | Redação Joesley Batista e Saud, que se entregaram em SP, vão para o DF nesta segunda-feira

Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo da empresa Ricardo Saud se apresentaram e estão presos na sede da Polícia Federal, na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, desde as 14h deste domingo. Eles se apresentaram para evitar operação da PF

Crédito da foto: Rovena Rosa/ABr Ministro Edson Fachin determinou prisão de Joesley por ver risco de empresário atrapalhar as investi

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo da empresa Ricardo Saud se apresentaram e estão presos na sede da Polícia Federal, na Lapa, Zona Oeste de São Paulo, desde as 14h deste domingo (10) após o relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, acatar os pedidos de prisão.

As ordens de prisão de Joesley e Saud foram encaminhadas para a PF neste sábado (9) e a polícia afirmou que não cumpriu os mandados porque estava "em planejamento operacional" quando os dois manifestaram, por meio de seus advogados, a intenção de se entregar.

Joesley deixou a casa do pai no Jardim Europa às 13h39, na Zona Sul de São Paulo, rumo à Polícia Federal, e Saud, seu apartamento no Morumbi, também na Zona Sul. Na sede da superintendência da PF, manifestantes soltaram fogos de artifício para comemorar as prisões.

Os dois devem passar a noite na PF em São Paulo e serem transferidos para Brasília nesta segunda-feira (11). As prisões são temporárias, com prazo de cinco dias, e podem ser revertidas para preventivas. Em um áudio, Joesley e Saud chegaram a dizer que não seriam presos.

Após pedido da defesa, o Supremo Tribunal Federal abriu uma exceção e determinou que o exame de corpo de delito dos presos seja realizado somente nesta segunda-feira (11) em Brasília. O memorando foi enviado ao setor de custódia da Polícia Federal em São Paulo no início da noite deste domingo (10).

Na prática, o memorando permite que a PF mantenha Joesley e Saud presos mesmo sem a realização do exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal). Por volta das 18h50, os dois já estavam nas celas onde passarão a noite, no terceiro andar do prédio da PF na Lapa, na Zona Oeste. Joesley e Saud estão em celas separadas.

Cronologia da prisão:

  • Joesley sai da casa do pai dele, nos Jardins, às 13h39.
  • Saud sai um pouco depois de sua casa, no Morumbi, às 13h41.
  • O primeiro a chegar à sede da PF é Saud, em um carro preto, às 13h58.
  • Joesley entra na PF em uma Hilux prata, às 14h02.

Leia mais AQUI no G1 – São Paulo

Tags:

Joesley Batista
Saud
presos
Edson Fachin
tranferência
JBS
J & F

voltar