Sexta-Feira, 15 de dezembro de 2017

Postado às 08h45 | 07 Dez 2017 | Redação Governador Robinson espera ajuda financeira de R$ 170 milhões para atualizar salários

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte ainda não concluiu o pagamento da folha salarial de outubro; não tem previsão de quando pagará novembro, dezembro e o décimo terceiro. O governador Robinson pediu ajuda financeira ao presidente Michel Temer

Crédito da foto: Reprodução Governador Robinson Faria teve audiência com o presidente Michel Temer há duas semanas

O governador Robinson Faria (PSD) aposta todas as fichas no Tesouro Nacional para resolver o problema de salários atrasados do funcionalismo público do Rio Grande do Norte. Ele espera um socorro financeiro da ordem de R$ 750 milhões para reoxigenar as contas do Estado e, por consequência, atualizar a folha de pagamento que vem atrasando desde janeiro de 2016, motivo da greve dos servidores da Saúde e dos professores da Universidade Estadual (UERN).

O montante do aporte financeiro, pedido pelo governador ao presidente Michel Temer (PMDB), era guardado a “sete chaves”, mas o líder do Governo na Assembleia Legislativa, Dison Lisboa (PSD), decidiu revelar na reunião de deputados com o comando de greve, ocorrida na tarde de terça-feira, 5, na Assembleia Legislativa.

Para serenar os ânimos dos manifestantes, que tinham ocupado a antessala da presidência da Casa Legislativa, o parlamentar informou que Robinson Faria está articulando a edição de uma medida provisória (MP), pelo presidente Temer, para conseguir auxílio extra de R$ 750 milhões. Seria nos moldes que aconteceu com o Estado do Rio de Janeiro, que foi socorrido pelo Tesouro Nacional.

Dison afirmou, diante do presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PSDB), e outros sete deputados estaduais, que os recursos, caso liberados pelo Governo Federal, serão utilizados para atualizar o pagamento dos servidores.

 

EQUILÍBRIO FISCAL

Robinson Faria bateu à porta de Michel Temer ainda no primeiro semestre ano, tão logo o Rio de Janeiro ter conseguido o aporte financeiro. O pedido foi feito. A partir daí, arrastou-se no tempo e alcançou a reta final do ano. Há duas semanas, o governador foi recebido pelo presidente da República em nova audiência, tendo a companhia do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RN), quando o pleito foi renovado.

Temer prometeu ajudar o Rio Grande do Norte, mas não assegurou a liberação dos R$ 750 milhões, isso porque o Estado, até aqui, não fez a sua parte para ter direito ao socorro financeiro. O Governo Federal fez uma série de exigências, como medidas para recuperar a saúde fiscal do Estado.

O presidente Temer exige, entre outras coisas, a venda de ativos do Rio Grande do Norte e a aprovação da lei que cria o Regime de Recuperação Fiscal. O governador encaminhou mensagem à Assembleia Legislativa ainda no primeiro semestre, prevendo uma série de mudanças, inclusive, na contribuição previdenciária, que subiria de 11% para 14%, porém até aqui as matérias não foram apreciadas pelos deputados.

Sem essas medidas, o governo Temer avisou que não tem como editar a MP para liberar os recursos pretendidos e necessitados pelo Estado.

LEIA MAIS SOBRE A CRISE FINANCEIRA DO ESTADO NA EDIÇÃO IMPRESSA DO JORNAL DE FATO

Tags:

Governador do RN
Robinson Faria
ajuda financeira
crise
salários
ajuste fiscal
Michel Temer
presidente

voltar