Quarta-Feira, 24 de abril de 2019

Postado às 08h15 | 07 Abr 2019 | Redação Indenizações pagas por acidentes de motocicletas concentram quase 6 mil casos no RN

Crédito da foto: Arquivo Acidente envolvendo motos é frequentes no Rio Grande do Norte

Fábio Vale/JORNAL DE FATO

Pouco mais de 83% do total das indenizações pagas pelo Seguro Dpvat no caso de acidentes de trânsito no decorrer do ano passado no Rio Grande do Norte envolveu motocicletas. A constatação é de uma pesquisa divulgada nesta semana pela empresa que administra o Seguro Dpvat. O estudo reafirma uma tendência sobre a forte incidência de sinistros envolvendo esse veículo automotor sobre duas rodas.

O levantamento da Seguradora Líder mostra que indenizações pagas pelo Seguro Dpvat no território potiguar em 2018 envolveram 5.945 motocicletas de 7.126 pagamentos, que corresponde a 83,4% do total. O relatório detalha que foram 792 indenizações envolvendo automóveis, 194 ciclomotores, 135 caminhões e picapes, 60 ônibus e micro-ônibus e vans.

A tendência constada no RN sobre a predominância de casos envolvendo motocicletas também se verificou em nível nacional. Em todo o país, esse tipo de veículo teve o maior número de indenizações pagas em 2018. O relatório destaca que, apesar de representar apenas 27% da frota nacional, a motocicleta concentrou 75% das indenizações pagas, sendo que 74% foram para invalidez permanente e 8% para morte.

O estudo revela ainda que as vítimas de acidentes com motocicletas são, em sua maioria, jovens em idade economicamente ativa. No período citado, as vítimas entre 18 e 34 anos concentraram 49% dos acidentes fatais e 53% dos acidentes com sequelas permanentes; e foram pagas em todo o país aproximadamente 96 mil indenizações por invalidez permanente às vítimas nessa faixa etária em acidentes envolvendo o uso de motocicletas.

 

Mais de cinco mil indenizações no RN foram resultantes de invalidez permanente

Dentro do total de mais de sete mil indenizações pagas pelo Seguro DPVAT no caso de acidentes de trânsito no decorrer do ano passado no Rio Grande do Norte, o levantamento da Seguradora Líder, que administra o serviço, revela que casos envolvendo invalidez permanente lideraram as estatísticas, seguidos de reembolso de despesas médicas e mortes.

Segundo o levantamento, 707 casos foram resultantes de mortes. No ano de 2017, esse número foi de 690, o que corresponde a um aumento de 2,46% em relação a 2018. Já os casos envolvendo invalidez permanente resultaram em 5.152 indenizações pagas pelo Seguro Dpvat no caso de acidentes de trânsito no ano passado, contra 7.512 no decorrer de 2017.

O comparativo aponta uma queda de pouco mais de 31% no número de ocorrências. E quanto a indenizações envolvendo reembolso de despesas médicas, o estado teve 1.267 registros em 2018, contra 1.091 em 2017. Um aumento de 16,13%. A Seguradora Líder ressalta que esses dados ajudam a dimensionar os danos causados pela violência no trânsito em todo o país e dão apoio às ações de conscientização e prevenção.

 

Motoristas e faixa etária de 25 a 34 anos lideram indenizações

Motoristas e a faixa etária de 25 a 34 anos lideram indenizações pagas pelo Seguro Dpvat no caso de acidentes de trânsito no decorrer do ano passado no Rio Grande do Norte. O levantamento da Seguradora Líder revela que, do total de pagamentos, 4.115 foram direcionados para motoristas, 1.901 pedestres e 1.110 passageiros.

A faixa etária de 25 a 34 anos lidera com 2.032; seguida de 35 a 44, com 1.514; 45 a 64, com 1.506; e 18 a 24, com 1.405. Os casos envolveram ainda 263 jovens de 8 a 17 anos e 67 crianças de 0 a 7 anos. O levantamento revela também que o horário de maior incidência de sinistros é das 17h às 20h.

Pela primeira vez, o Relatório Anual da Seguradora Líder traz o ranking com estados e capitais com mais indenizações pagas considerando um cruzamento proporcional à frota no ano da análise. O levantamento detalha que, a cada dez mil veículos no estado, foram pagas 56 indenizações em 2018 nas três coberturas e 76 em 2017.

O relatório coloca o RN com uma frota de 1.268.483 e 7.126 sinistros pagos no ano passado, contra um total de 1.217.523 veículos e 9.293 sinistros pagos em 2017. Com relação a registros por capitais do país, o levantamento mostra que a cada dez mil veículos em Natal, 36 indenizações foram pagas em 2018, contra 49 em 2017.

A capital potiguar figura com 1.431 sinistros pagos em 2018 e com uma frota de 400.430 veículos, contra 1.895 sinistros pagos e uma frota de 388.376 veículos em 2017. No ranking do maior número de sinistros pagos em 2018 em dez cidades do Nordeste, Natal figura na sétima posição.

Tags:

Segurança
acidentes
motos
DPVAT
RN

voltar