Quinta-Feira, 20 de junho de 2019

Postado às 12h00 | 05 Jun 2019 | Redação Sesed confirma motim no presídio Rogério Madruga, anexo ao presídio de Alcaçuz

Crédito da foto:

Em nota divulgada no final da manhã desta quarta-feira, 5, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) confirmou princípio de tumulto no Presídio Estadual Rogério Coutinho Madruga, em Nísia Floresta.

Segundo o G1, motim aconteceu em uma das celas do pavilhão 5, como é conhecido o anexo ao presídio de Alcaçuz. O helicóptero Fênix 03, que pertence à Secretaria de Segurança Pública do Ceará, sobrevoou a penitenciária.

A Sesed informou ainda que a confusão “foi controlada rapidamente pelos Agentes Penitenciários da unidade”.

A Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) e da Justiça e Cidadania (SEJUC) adotaram medidas preventivas no sistema prisional do Rio Grande do Norte depois do alerta feito pela Polícia Federal sobre possíveis ações criminosas do PCC nos presídios do Estado.

Uma das medidas foi a suspensão de visitas dos familiares de detentos do sistema penitenciário. Em nota, as secretarias também informam que não existe nenhum motim em andamento nas penitenciárias do Rio Grande do Norte.

Na manhã desta sexta-feira (31), a imprensa potiguar noticiou que um documento da Polícia Federal alertou o ao Governo do Estado para o risco de um ‘salve’ da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na próxima terça-feira, 4.

O relatório faz o alerta para as secretarias de Segurança Pública (Sesed) e de Justiça e Cidadania (Sejuc), além das polícias Militar e Civil.

“Chegou ao conhecimento deste NIP a ocorrência de um SALVE que teria sido enviado por integrantes do Primeiro Comando da Capital do Estado do Rio Grande do Norte (PCC/RN), possivelmente, custodiados na Penitenciária de Alcaçuz, tratando sobre ações criminosas contra Agentes Penitenciários, ações dentro de unidades prisionais e ataques visando atingir a Ordem Pública do Estado”, inicia o documento

Ainda no relatório, a PF informa que “a ordem seria ‘mandar quebrar tudo nas ruas’ a partir da meia-noite de terça” e que na quarta-feira, 5, membros da facção que atua dentro e fora dos presídios “fariam uma caminhada particular”. A ação ainda teria o apoio de dos faccionados de Pau dos Ferros, Mossoró, Umarizal, Apodi e Macaíba.

Outro alerta do relatório diz que os presos de Alcaçuz teriam “encontrado uma forma de abrir as celas utilizando pedaços de concreto como aríete”.

Tags:

Sesed
Rogério Madruga
Alcaçuz
Nísia Floresta
anexo
presídio

voltar